PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Ciro viaja ao Exterior e frustra planos de Haddad

01:30 | 12/10/2018

Derrotado nas urnas, Ciro Gomes (PDT) embarcou para o Exterior ontem, para viajar com a família, e deve ficar fora do País por até duas semanas. Os planos frustram as investidas do PT, que faz acenos ao candidato derrotado no intuito de trazê-lo para dentro da campanha petista no segundo turno das eleições 2018.

 

Ao contrário do que esperava a campanha de Fernando Haddad (PT), Ciro não vai chefiar a equipe do programa econômico do petista. A ideia é que o pedetista não suba no palanque com Haddad, muito menos faça fotos para indicar o "apoio crítico", aprovado em reunião da Executiva nacional do PDT nesta quarta-feira, 10.

 

Ontem, Haddad, esteve ontem na Conferência Nacional dos Bispos (CNBB), em Brasília, reunido com o secretário-geral da instituição, dom Leonardo Steiner, para ouvir as demandas dos católicos e se comprometer com a entidade, caso seja eleito.

 

"Dom Leonardo reiterou nota da CNBB sobre medidas do governo atual como o teto de gastos e a reforma trabalhista", disse. "Me comprometi no primeiro momento a revogar essas medidas que, na minha opinião, comprometem os direitos sociais", afirmou o ex-prefeito.

 

Haddad fez um pedido à CNBB para que recomende aos católicos que tenham mais cuidado com as chamadas fake news. "Não devemos atacar a honra das pessoas com informações falsas", alertou.

 

O petista criticou a ausência do capitão reformado em debates e o aceno dele ao programa social Bolsa Família. "Se tem alguém que criticou o Bolsa Família nos últimos dez anos, foi o meu adversário", disse.

Agência Estado