Participamos do

Bolsonaro tem 69% do apoio evangélico e 66% dos mais ricos

Datafolha. Campanha
01:30 | Out. 26, 2018
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

As maiores vantagens de Jair Bolsonaro (PSL) contra Fernando Haddad (PT) estão localizadas no eleitorado masculino (61% a 39%), com 60 anos ou mais (60% a 40%), com ensino superior (61% a 39%), evangélico (69% a 31%) e mais rico (66% a 34%).

 

Em parte desses estratos, porém, o candidato petista esboçou uma reação. Entre os mais ricos, por exemplo, Haddad cresceu oito pontos percentuais desde a semana passada.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

 

Entre os homens, o presidenciável avançou quatro pontos, mesmo percentual de melhora registrado na faixa com ensino superior. Já no eleitorado feminino, a situação é de empate técnico, com Bolsonaro numericamente à frente: 51% a 49%.

 

Considerando-se apenas as denominações evangélicas pesquisadas pelo Datafolha, o ex-prefeito de São Paulo registrou crescimento entre neopentecostais. O petista foi de 32% na pesquisa anterior, feita nos dias 17 e 18, para 41% agora.

 

Nesse mesmo segmento, Bolsonaro passou de 68% para 59%. Entre católicos, a disputa é mais equilibrada: 51% para o militar da reserva ante 49% do adversário.

 

Dos três maiores colégios eleitorais do País, Haddad melhorou desempenho no Rio de Janeiro, onde galgou quatro pontos e chegou a 36% contra 64% de Bolsonaro. E em Minas Gerais, estado no qual o petista cresceu cinco pontos, atingindo 41% ante 59% do deputado federal.

 

Embora mantenha vantagem em estratos variados, o Datafolha mostra que Bolsonaro caiu em todas as regiões e boa parte dos segmentos analisados.

A pesquisa entrevistou 9.173 pessoas nos dias 24 e 25, em 341 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Henrique Araújo

 

CERTEZA

O Datafolha avaliou o grau de certeza no voto em cada um dos candidatos. Entre os bolsonaristas, 94% afirmam que sua escolha é definitiva. Dos eleitores de Haddad, 91%.

 

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente