Participamos do

Mikaelton critica modelo de educação que prioriza entrada na universidade

| Governo | Candidatura de Mikaelton foi indeferida. Segundo ele, irregularidade "ainda está em análise"
01:30 | Set. 11, 2018
Autor David Moura
Foto do autor
David Moura Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia
[FOTO1]

O candidato ao Governo do Ceará pelo PCO, Mikaelton Carantino, afirmou ontem que um dos problemas na educação brasileira é que ela incentiva somente os estudantes a entrarem nas universidades. "A educação no Brasil é meio que igual tirar carteira de motorista. Você vai para autoescola não para aprender a dirigir. Você vai para a autoescola tirar carteira de motorista. A educação no Brasil, isso aí virou um senso comum, é para entrar na universidade", criticou.

 

Mikaelton, que teve o registro de candidatura indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE), afirmou que a irregularidade apontada pela Corte ainda está em análise. Conforme o TRE, o diretório precisa ser constituído até seis meses antes do registro da candidatura do candidato, o que não foi ocorreu.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

 

Carantino refuta o argumento. "Na verdade não é o diretório. Tem duas opções: o diretório ou as comissões provisórias. Ultimamente o TRE está querendo acabar com as comissões provisórias. (...) Ainda não foram extintas em lei as comissões provisórias. E nós registramos como comissão provisória como outros partidos no País todo fizeram e estão com esse problema", relata o candidato. Porém, ele admite que o partido PCO não apresenta diretório.

 

As declarações foram feitas ontem durante a sabatina promovida pelo Grupo de Comunicação O POVO. O candidato foi sabatinado pelos jornalistas Fernando Graziani, Henrique Araújo, Ítalo Coriolano. A entrevista teve a mediação de Plínio Bortolotti.

 

Na área de segurança, Mikaelton considera criar milícias populares, em que os policiais militares serão escolhidos pela própria população para atuar no bairro. "As milícias são policiais militares normais, armados, fardados do mesmo jeito. Só muda a questão da entrada. Em vez de ele entrar via concurso público, ele vai ser escolhido pela população do bairro que ele mora", conta.

 

Na opinião dele, o crescente número de homicídios no Estado está ligado à venda de drogas ilícitas e também devido ao desemprego. "Os jovens desempregados arrumam emprego 'mais fácil' na venda de drogas". Sobre a criação de emprego, ele defende atrair mais indústrias para o Estado. "A indústria precisa de mão-de-obra qualificada, incentivo fiscal [...]. Uma indústria que produz aqui para mandar para o mundo todo, ela só vem se tiver incentivo fiscal".

 

OP ONLINE
WWW.OPOVO.COM.BR
A série de sabatinas é transmitida ao vivo pela Rádio O POVO/ CBN (nas frequências 95,5 e AM 1010), pela TV O POVO (Canal 48.1) e pelas redessociais do Grupo de Comunicação O POVO.

 

SERVIÇO

 

Série de Sabatinas

O candidato ao Governo do Estado pelo PSL, Hélio Góis, será sabatinado hoje. Ele é o último convidado da série de entrevistas. O debate terá a mediação de Plínio Bortolotti e perguntas dos jornalistas Carlos Mazza, Lucinthya Gomes e Wagner Mendes.

Quando: Hoje, das 10h30min ao meio-dia

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente