Participamos do

Câmara aprova reajuste de 2,95% para servidores

| FORTALEZA | Categoria cobrava aumento de 9,42% e vai protestar contra a decisão na próxima quinta-feira, 22
01:30 | Mar. 15, 2018
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Os servidores públicos de Fortaleza terão reajuste de 2,95% nos salários a partir do próximo mês. Ontem, a Câmara Municipal aprovou o índice proposto pela Prefeitura em votação extra. A matéria não estava na pauta da Casa, mas foi incluída após solicitação da base. O percentual aprovado repõe a inflação do ano passado, mas é inferior ao reivindicado pela categoria, que pedia acréscimo de 9,42%, índice que corresponde à inflação acumulada dos anos de 2016 e 2017.

Servidores já haviam recusado esse percentual no último dia 9, após reunião com representantes da Prefeitura. Uma manifestação foi marcada para a próxima quinta-feira, 22, para cobrar nova proposta.

Conforme a base, o reajuste deveria ser votado ontem para poder ser incluído na folha de pagamento dos servidores ainda em abril. A proposta teve 27 votos favoráveis e 4 abstenções. O texto segue para sanção do prefeito Roberto Cláudio.
 

Mesmo com a aprovação, o Sindicato dos Servidores Públicos de Fortaleza (Sindifort) mantém o protesto do dia 22. “Entendemos que o prefeito esteja reajustando pela inflação do ano passado, mas falta índice de 6,29% da inflação de 2016 que ainda não foi reposto”, cobra a presidente do Sindifort, Nascélia Silva. A entidade enviou ofício ao Paço Municipal solicitando reunião com prefeito no dia 22.
 

Para o líder do Governo na Câmara, Ésio Feitosa (PPL), o índice é “prudente” pois não compromete a “saúde financeira” da Prefeitura. “O Município não teria como garantir o percentual proposto pelos servidores. Só esse aumento vai representar um impacto de aproximadamente R$ 100 milhões na folha. O índice proposta triplicaria esse valor”, disse.
 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Feitosa afirma que a Secretaria do Planejamento (Sepog) conclui estudo sobre o caso dos professores, que têm reajuste separado. No entanto, o percentual deverá ter como base o índice aprovado ontem. Sem dar previsão de quando a proposta chegará à Câmara, ele disse que o reajuste será debatido com a categoria antes de ir à votação.
 

A inclusão de última hora da matéria na pauta da Câmara causou debates. O vereador Guilherme Sampaio (PT) questionou o procedimento. “Essa não é uma matéria qualquer. Tratar dessa forma seria um golpe”, criticou o parlamentar. Adail Júnior (PDT) reagiu dizendo que a inclusão da matéria não seria uma manobra. “A gente não precisa fazer manobra se tem a maioria da Casa”, disse. (Rômulo Costa) 

 

BASE
 

Márcio Cruz (PSD) e Larissa Gaspar (PPL), mesmo da base do prefeito, não votaram à favor do índice. Servidores municipais, eles queriam reposição da inflação desde 2016.  

 

DIVISÃO


Petistas se dividiram na votação. Enquanto Guilherme Sampaio criticou o índice proposto, Acrísio Sena foi favorável por achar similar ao oferecido pelo Governo do Estado. 

 

ASSEMBLEIA


SERVIDORES DO ESTADO
 

AUMENTO APROVADO
A Assembleia Legislativa aprovou na semana passada aumento de 3% nos salários dos servidores estaduais.

PROPOSTA DO GOVERNO
 

Na mensagem, o governador Camilo Santana (PT) disse que a proposta condiz com as possibilidades financeiras do Tesouro Estadual.

IMPACTO DO REAJUSTE
 

O Estado conta com 80 mil servidores inativos (incluindo pensionistas) e 56 mil ativos. O reajuste de 3% terá impacto superior a R$ 717 milhões na folha de pagamento estadual em relação ao ano passado.   

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente