PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Na batalha das ruas, a vitória foi dos petistas

00:30 | 25/01/2018

Enquanto os tribunais e seus ambientes refrigerados eram palco de uma sofisticada disputa de teses jurídicas, no agitado dia de ontem, as ruas de várias cidades brasileiras, inclusive Fortaleza,se viram ocupadas por militantes pró e contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, personagem de um julgamento.  Nesta batalha, petistas e aliados deram demonstrações de força, lotando espaços públicos e apresentando nível de mobilização muito mais expressivo. Mesmo depois de definida a condenação por contundentes 3 votos a 0, os atos de comemoração da turma anti-Lula e anti PT apresentaram-se minguados de participação popular. 

O exemplo de São Paulo é bastante emblemático. Milhares de pessoas acotovelavam-se na noite passada em área a elas destinada na Praça da República, para ouvirem o condenado Lula, na mesma hora em que 300 pessoas, nos cálculos da Polícia Militar, agitavam bandeiras, seguravam Pixulecos, cantavam o Hino Nacional e comemoravam a decisão do TRF-4. Poucos, muito poucos. 

O fim da história mostra que o barulho das ruas não influenciou a decisão dos juízes, o que é, em si, uma boa notícia. No entanto, a informação política é importante para o futuro ao indicar que o PT mantém capacidade de mover gente por suas causas. Claro que muito vinculado à força do próprio Lula, o que dá sentido à pressa de já hoje ter agenda em São Paulo para oficializá-lo como candidato em 2018. É preciso manter o ânimo da tropa. 

GUÁLTER GEORGE EDITOR gualter@opovo.com.br