PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Cármen Lúcia prorroga investigação

01:30 | 05/01/2018
NULL (Foto: )
NULL (Foto: )
[FOTO1]

A presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, aceitou ontem o pedido para prorrogar o prazo da investigação sobre os senadores Renan Calheiros (PMDB-AL) e Romero Jucá (PMDB-RR) que tramita na Corte, instaurada após as delações dos ex-executivos da Odebrecht.


Renan e Jucá são suspeitos de terem recebido R$ 5 milhões do grupo empresarial para trabalhar pela aprovação da Medida Provisória 627/2017, que garantiu vantagens a empresas que atuavam no exterior.


O pedido para mais 60 dias de investigação foi feito pela Procuradoria-Geral da República, no dia 14 de dezembro, "considerada a existência de diligências pendentes e necessárias ao deslinde das investigações", segundo afirmou a procuradora-geral da República,
Raquel Dodge.


Antes disso, a Polícia Federal também havia pedido a prorrogação, que foi autorizada pelo ministro-relator do caso no STF, Edson Fachin, em setembro.


Responsável por decidir sobre questões mais urgentes que chegam ao Supremo durante o recesso, Cármen Lúcia tem dado andamento a alguns inquéritos, em sua maioria autorizando os pedidos de prorrogação de investigação. Normalmente, quem faz esse tipo de decisão é o relator dos processos.

TAGS