PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

PF prende Wesley e Joesley tem 2º pedido de prisão decretado

01:30 | 14/09/2017

A Polícia Federal prendeu preventivamente ontem, em São Paulo, o empresário Wesley Batista na Operação Acerto de Contas, 2ª fase da Tendão de Aquiles. Há uma ordem de prisão contra o empresário Joesley Batista, irmão de Wesley, donos da J&F. Joesley já está preso temporariamente, por ordem do ministro Edson Fachin, do STF, desde domingo, 10, por suspeita de violação de sua delação premiada. Os executivos são investigados na Tendão de Aquiles em inquérito sobre manipulação do mercado financeiro, referente ao suposto lucro obtido com a venda de dólares às vésperas da divulgação da delação premiada dos executivos da J&F.

No pedido de prisão da Polícia Federal diz que “há provas que os irmãos agiram pessoalmente para manipular ações do grupo no mercado”. A PF cumpriu também nesta quarta-feira dois mandados de busca e apreensão. Os mandados foram expedidos pela 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo a pedido da PF como decorrência dos fatos investigados desde que teve início o inquérito policial nº 120/2017, conhecido como operação Tendão de Aquiles - que investiga o uso indevido de informações privilegiadas em transações no mercado financeiro ocorridas entre abril e 17 maio de 2017, data de divulgação de informações relacionadas a acordo de colaboração premiada firmado por ambos os presos e a Procuradoria-Geral da República (PGR).

“É injusta, absurda e lamentável a prisão preventiva de alguém que sempre esteve à disposição da justiça, prestou depoimentos e apresentou todos os documentos requeridos. O Estado brasileiro usa de todos os meios para promover uma vingança contra aqueles que colaboraram com a Justiça”, disse o advogado Pierpaolo Bottini, que defende os irmãos Batista.

Agência Estado

TAGS