PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Após acusação de Palocci, Lula e Moro têm novo encontro

O ex-presidente deverá dar esclarecimentos ao juiz federal hoje à tarde. O petista é acusado de receber terreno milionário e ainda um apartamento da Odebrecht por beneficiar construtora em contratos da Petrobras

01:30 | 13/09/2017
Primeiro encontro entre Lula e Moro aconteceu há cerca de 4 meses REPRODUÇÃO/INTERNET
Primeiro encontro entre Lula e Moro aconteceu há cerca de 4 meses REPRODUÇÃO/INTERNET

O ex-presidente Lula (PT) encontra-se novamente com o juiz federal Sergio Moro hoje às 14 horas, em Curitiba, quatro meses após o primeiro depoimento. O petista esclarecerá acusações de que teria recebido da Odebrecht um terreno no Centro de São Paulo, no valor de R$ 12 milhões, para construir a sede do Instituto Lula e um apartamento ao lado do seu em São Bernardo do Campo por beneficiar a construtora em contratos com a Petrobras.

O encontro acontece uma semana depois de o ex-ministro de Lula, Antonio Palocci, acusá-lo em depoimento a Moro de receber “pacote de propina” da Odebrecht. Segundo Palocci, o ex-presidente recebeu, além do terreno, o Sítio de Atibaia reformado e o valor de R$ 300 milhões “para ele fazer as atividades políticas dele”.

As declarações do ex-ministro, aliadas à sentença do juiz federal que condenou Lula a 9 anos e meio de prisão no outro caso, aumentam expectativa sobre o novo depoimento, que ocorre em clima pouco propício para o petista.

Manifestação

A estrutura de segurança para esta quarta será menor que a do primeiro depoimento, mas parecida. Serão cerca de mil policiais militares contra os três mil deslocados em maio. “O dimensionamento foi menor, por conta da notícia de que nós teremos menos ônibus envolvidos e uma quantidade menor de pessoas. Mas o esquema básico é o mesmo, com um volume menor de policiais", explicou o secretário de Segurança Pública do Paraná, Wagner Mesquita. O prédio da Justiça Federal, onde acontecerá o encontro, terão as ruas ao redor bloqueadas desde as 6 horas.

 

Os policiais também trabalharão para manter manifestantes de lados contrários distantes, evitando confrontos. A Frente Brasil Popular, junto com outros movimentos sociais e com o PT, organiza um ato político intitulado “Jornada de Luta Pela Democracia” com a presença de Lula a partir das 18 horas, na Praça Generoso Marques.

“Lula será recebido e acompanhado na capital paranaense por uma nova Jornada de Luta pela democracia - um ato de denúncia da perseguição e do caráter político da Operação Lava Jato”, afirma o PT em nota.

Além do ato, são previstas atividades culturais, uma aula pública com Eugênio Aragão, ex-ministro da Justiça no governo de Dilma Rousseff (PT), e o lançamento de um livro sobre "abusos e inconsistências no processo contra Lula", elaborado por um grupo de professores de Direito.

São esperadas 5 mil pessoas no ato. A manifestação deve contar principalmente com militantes e políticos do Paraná, além de lideranças políticas nacionais. Nem a bancada cearense, nem membros do PT Ceará devem participar de ato, segundo presidente estadual da sigla De Assis Diniz.

 

Saiba mais

Na última segunda-feira, 11, a defesa de Lula protocolou no TRF recurso contra a decisão do juiz Sergio Moro, que o condenou a nove anos e meio de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso que ficou conhecido como o do triplex do Guarujá (SP).

Moro remarcou o interrogatório do advogado Roberto Teixeira. Agora, o compadre do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deverá prestar depoimento na quarta-feira, 20, às 13h30min.

 

LETíCIA ALVES