PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Pedido de liminar do MP será julgado apenas na próxima semana

2017-08-30 01:30:00

A cautela adotada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), que posterga o entendimento se redistribui ou não os processos da Corte estadual de Contas, acabou adiando por pelo menos uma semana a análise de liminar requerida pelo Ministério Público pedindo a suspensão do repasse do auxílio-moradia no valor de R$ 102,3 mil ao desembargador afastado Carlos Feitosa.


O conselheiro Itacir Todero, que deverá analisar o pedido do MP, afirmou ao O POVO que só deverá deliberar na próxima semana, quando souber se continua ou não com o caso em razão da possibilidade de redistribuição dos processos.


O advogado do desembargador, Rodrigo Teixeira, rebateu o pedido de liminar do MP e alegou que é um "direito" do magistrado, embora afastado das atividades. "É um direito que assiste ao desembargador. Todos os magistrados afastados continuam a receber um auxílio-moradia", rebateu. (Wagner Mendes)

Adriano Nogueira

TAGS