PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Senso de humor e criatividade para rir do trágico

2017-05-19 01:30:00
NULL
NULL
[FOTO1]

A estrondosa delação da JBS divulgada por volta das 19h30min da última quarta-feira trouxe à tona característica marcante do brasileiro: o humor autodepreciativo. A capacidade de fazer chacota com suas próprias mazelas é um orgulho nacional e as redes sociais potencializam tal traço de forma avassaladora.


Poucos minutos após os relatos de que o presidente Michel Temer (PMDB-SP) teria concordado em silenciar eventual delação do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso desde o dia 19 de outubro do ano passado, e que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) recebeu de Joesley Batista, dono da JBS, R$ 2 milhões em dinheiro, o que se viu foi uma quantidade insana de memes. É uma indústria criativa que trabalha em sua potência máxima diante do caos político absoluto.


"Já é impeachment no Japão", uma foto de Tite (técnico da seleção brasileira de futebol), com uma faixa presidencial e um vídeo de Aécio Neves de meses atrás em que ele fala da luta contra a corrupção são exemplos de conteúdos que se espalharam.


As entradas ao vivo de repórteres durante a programação das emissoras de TV também foram alvo. Exemplo marcante ocorreu enquanto a jornalista Zileide Silva falava ao vivo de Brasília na edição de quarta-feira do Jornal Nacional, da Rede Globo. Disposta a virar um meme, uma mulher surgiu portando cartaz escrito à mão "Eu votei na Dilma". O constrangimento durou toda a entrada da repórter. Da tela da TV para a internet foi um pulo.


Para o coordenador do Laboratório de Estudos sobre Imagem e Cibercultura da Universidade Federal do Espírito Santo, Fabio Malini, os memes são um fenômeno relevante. "É a nova política. Antigamente as pessoas tinham apenas o noticiário como fonte, mas agora elas podem participar dos assuntos. Isso facilita que diversos grupos sociais entrem nas discussões", analisa. O pesquisador observa que "o brasileiro tem essa pré-disposição da sátira e da ironia e assim se aproveita para ridicularizar as situações reais".


Por falar em realidade, quem encarou uma difícil foi o apresentador Luciano Huck. Até então amigo de Aécio Neves, Huck apagou do Instagram fotos com o político. E foi criticado por tentar apagar o passado como se fosse possível.


Centro nevrálgico dos memes no Brasil, o Twitter também viu a série House of Cards fazer piada. Em seu perfil oficial, escrito em inglês, o programa da Netflix que mostra a luta pelo poder político nos EUA escreveu, em português, "tá difícil competir". A publicação provocou delírio coletivo e até às 19 horas de ontem já contabilizava 125 mil retuítes e 130 mil curtidas.


Fernando Graziani
EDITOR-CHEFE DO NÚCLEO E ESPORTES
[email protected]

 

Adriano Nogueira

TAGS