Participamos do

Juiz Sergio Moro deve julgar Lula até fim de junho

01:30 | Mai. 16, 2017
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia
[FOTO1]

O juiz federal Sergio Moro negou ontem à defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ao Ministério Público Federal ouvir mais testemunhas na ação penal do caso triplex. Na mesma decisão, ele já fixou as datas para as alegações finais da Procuradoria e da defesa de Lula - considerado último passo do processo antes de o juiz decretar sua sentença.


A Procuradoria da República deve entregar suas considerações até 2 de junho, a Petrobras, assistente da acusação, 6 de junho, e a defesa, 20 de junho. A partir daí, como Moro costuma dar agilidade às suas sentenças, a decisão final do caso é esperada para o fim de junho, após as alegações dos advogados do ex-presidente.


A defesa do petista e a força-tarefa da Operação Lava Jato haviam solicitado o depoimento da arquiteta da OAS Jessica Monteiro Malzone, mas Moro negou a oitiva “por não reputar a prova relevante”.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

As negativas de Moro e a fixação dos prazos ocorrem cinco dias depois do primeiro encontro do ex-presidente com o juiz em Curitiba.

O depoimento de Lula durou quase cinco horas e reuniu cerca de 5 mil apoiadores do lado de fora do prédio.


A defesa do petista pediu também ao juiz que a construtora OAS e a OAS Empreendimentos informassem “quais seriam as empresas que realizariam auditoria sobre elas e depois para que estas sejam instadas a informar se teriam conhecimento se o acusado teria praticado algum ilícito ou se houve irregularidade na transferência do empreendimento Solaris da Bancoop para a OAS Empreendimentos”. Moro avaliou, contudo, que “a prova é absolutamente desnecessária”.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente