PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Cenário pós-delação da JBS

2017-05-19 01:30:00

MICHEL TEMER


PRESIDENTE

Governando o País por um ano, Michel Temer chega ao momento mais crítico da gestão. Delatado e gravado pelo dono da JBS, Joesley Batista, o peemedebista poderá perder o mandato por pelo menos quatro vias: impeachment, julgamento no TSE, intervenção do Supremo Tribunal federal (STF) ou a própria renúncia diante da situação irreversível

 

RENÚNCIA


Diante de um agravamento da crise política no Congresso Nacional, após a divulgação dos áudios gravados pelo empresário Joesley Batista, Michel Temer pode optar por deixar o cargo após entender que não há condições de governabilidade. Uma eleição indireta deverá ser realizada como prevê a Constituição.

 

IMPEACHMENT

Pelo menos oito pedidos de impeachment foram protocolados na Câmara dos Deputados pedindo a destituição do presidente Michel Temer. Em caso de seguimento desses processos, o peemedebista passará pelo mesmo rito enfrentado pela pestista Dilma Rousseff, no ano passado, quando teve o mandato cassado.

 

TSE

O julgamento da chapa Dilma Rousseff/Michel Temer que investiga supostas irregularidades no financiamento da campanha eleitoral de 2014 pode ser

uma das causas de uma possível queda de Michel Temer. Em caso
de cassação da chapa, uma eleição indireta deve ser realizada para a presidência da República.

 

STF

Após gravações indicarem suposto crime praticado pelo presidente Michel Temer no exercício do mandato, o STF poderá ser provocado para um possível afastamento do peemedebista do cargo. O político paulista passou para a condição de investigado após a Suprema Corte autorizar abertura

de inquérito.

 

 

RODRIGO MAIA


PRESIDENTE DA CÂMARA

Eleito presidente da Câmara dos Deputados para um mandato tampão, após o afastamento do então presidente Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Rodrigo Maia (DEM-RJ) poderá assumir o cargo de presidente da República caso ocorra a queda de Michel Temer diante das consequências da delação da JBS. Apesar de ser investigado na Operação Lava Jato, Maia pode assumir o posto já que não é réu, ainda, nas investigações.

 

INDIRETA

Em caso de uma eleição de forma indireta, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), assume o comando do Brasil e formaliza novas eleições em até 30 dias para o País. O Congresso Nacional, ou seja, deputados e senadores, elegem um novo presidente da República para o mandato tampão.

DIRETAS

Como a possibilidade para o cenário atual de eleições diretas não está prevista na Constituição brasileira, é necessária aprovação de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que altera o texto e autoriza novas eleições diretas. A PEC precisa ser aprovada por maioria qualificada na Câmara dos Deputados e Senado Federal.

 

PROPINA

Rodrigo Maia (DEM-RJ) foi eleito cinco vezes deputado federal. No STF, é investigado por supostamente ter recebido propina de R$ 600 mil. Dinheiro que teria sido pago pela Odebrecht.

NO CHILE

Rodrigo Maia tem 47 anos. Nasceu em Santiago, no Chile, quando seu pai (César Maia) foi exilado durante a ditadura militar (1964-1985). Porém foi registrado no Consulado do Brasil.

 

 

 

Adriano Nogueira

TAGS