PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Grupo de Luizianne acusa RC de interferência nas eleições do PT

2017-03-28 01:30:00
NULL
NULL
[FOTO1] 

Candidato à presidência do diretório municipal do PT, em Fortaleza, o ex-vereador Deodato Ramalho (PT) afirmou que seu adversário na campanha, o vereador Acrísio Sena (PT), se “utiliza de forças externas”, ligadas ao governo Roberto Cláudio (PDT), que “estão operando” para derrotá-lo. Acrísio, que lançou oficialmente candidatura ontem, afirma desconhecer influência. Prefeito alega ser “tentativa de criar fato” e nega ter interferido fora de seu partido.


Deodato, aliado da ex-prefeita Luizianne Lins (PT), diz que as “forças externas” têm origem “no gabinete do prefeito, através de aliados, de dentro e de fora do PT”. “Dentro do PT, são aquelas pessoas que já votaram no RC desde o primeiro turno (das eleições de 2016), não respeitando a decisão do partido”, complementa o ex-vereador.

[QUOTE1]

Apoiador de Deodato, o deputado estadual e atual presidente do PT Fortaleza, Elmano de Freitas, corrobora a tese do companheiro. “Tenho escutado que há uma busca de ação do governo municipal pra tentar apoiar aqueles que defendem aproximação do PT com o prefeito RC, que é a nossa principal diferença”, conta.


Segundo RC, trata-se de “tentativa” de Deodato de “criar um fato”. “Nem quando era minha eleição eu interferi dentro do PT – que era do meu interesse. Não é agora que vou fazer isso. Ainda mais numa eleição partidária. Eu só me meto no meu partido”, responde o prefeito.


Acrísio Sena nega articulações com a prefeitura para interferir dentro do PT, e diz que “o que existe são filiados do partido se movimentando” para sua eleição. “Se tem um petista dentro do governo RC ou do Camilo Santana (PT), ou qualquer governo que queira votar na gente, qual é o problema disso? A votação não pede atestado de onde o filiado trabalha”, argumenta.


O vereador alega que os filiados aos quais Deodato se refere “devem ter técnicos do RC que são filiados ao PT” e que nada pode tirar a candidatura dele, a não ser o próprio. Ele cita o secretário da Casa Civil, Nelson Martins, Marcelo Uchôa, titular da Secretaria Especial de Políticas sobre Drogas, e Artur Bruno, secretário do Meio Ambiente – todos órgãos do Governo do Estado.

[QUOTE2]

Este último também é um nome citado por Deodato como parte da articulação. “Ele disse que ia sair do partido, e ainda saiu atirando, aí agora tá ligado a uma chapa”, disparou, em referência à nota do secretário que admitiu deixar o partido no futuro.


Para Artur, no entanto, Deodato está “vendo chifre em cabeça de cavalo”. Ele responde que, com ligação à chapa de Acrísio, tem “esperança de rever práticas que denigrem a imagem do partido” e que “tem 30 anos de petista” e que luta “para que o PT faça autocrítica e puna os que se corrompem”.

 

Saiba mais


Lula 2018

Deodato também sugere que Acrísio, por ser ligado ao grupo dos Ferreira Gomes junto ao governador Camilo, seja expressão da “liderança que não apoia um palanque do Lula aqui, para 2018”, e que, portanto, pleitearia apoio a Ciro Gomes (PDT) nas eleições para a Presidência da República. Entretanto, Acrísio Sena afirma que é parte do seu programa “construir um palanque forte para o companheiro Lula em Fortaleza” – no que mostra, em seguida, nota oficial de sua candidatura, com pontos que devem reger seu mandato.

Vicente Pinto (PT)

Terceiro candidato à presidência municipal do partido, Dr. Vicente afirma, contudo, que adesão à chapa de Acrísio deve ser concretizada em breve. “Temos uma afinidade, o mesmo pensamento. Pensamos que o PT do Ceará deveria ter se unido ao PDT e ao PCdoB”, diz.

 

Daniel Duarte

TAGS