PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Petistas no CE discordam da ideia de antecipar pré-candidatura de Lula

2017-01-17 01:30:00
NULL
NULL
[FOTO1]

Wagner Mendes

[email protected]

Após rumores de que setores do PT estariam organizando o lançamento da pré-candidatura do ex-presidente Lula, já na próxima sexta-feira, à presidência da República, petistas do Ceará avaliam a ação como “prematura”.

[SAIBAMAIS]

O vice-presidente nacional da legenda, deputado José Guimarães, defende a tese de que as correntes políticas da chamada “forças democráticas”, do campo da esquerda, discutam um programa em comum para o lançamento de um nome para 2018.


“Lançar logo acho que pode afugentar outros setores da esquerda. Prefiro discutir o programa e depois discutir o nome. Acho que a preocupação do PT tem que ser no momento de reconstruir sua inserção com a base social que outrora foi fundamental na construção do PT”, disse o ex-líder de Dilma na Câmara.

[QUOTE1]

O deputado José Airton também defendeu a construção de uma unidade no campo da esquerda para pensar 2018. Ele disse ser “prematuro” discutir candidatura nesse momento.


“Eu acho que é muito prematuro. Lançar agora, particularmente, não concordo. É muita precipitação porque está muito longe as eleições. Tem que dialogar com os partidos aliados, construir uma relação de unidade do campo da esquerda”, defendeu.


Apesar da posição contrária, os parlamentares acreditam que o ex-presidente tem força política para disputar uma eleição presidencial e que é um “bom nome” para a disputa do cargo.

[QUOTE2]

O cientista político do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais de Minas Gerais (Ibmec-MG), Adriano Gianturco, acredita que uma possível candidatura de Lula não contribui para acalmar a efervescência política que o País vive atualmente. “Não vejo como algo positivo porque vai continuar essa polarização política, esse antagonismo que na verdade deveria se acalmar”, diz o pesquisador.


Para Gianturco, o ex-presidente não possui mais força política para vencer uma eleição presidencial pelo desgaste que sofreu nos últimos anos. O professor acredita ainda que um lançamento nesse momento pode ser interpretado como uma afronta à Operação Lava Jato, que investiga o petista.


Oposição

O deputado federal Raimundo Gomes de Matos (PSDB) avalia que a possível candidatura é na tentativa de “revitalizar” a sigla que passa por um momento de desgaste inédito. “Em pesquisas internas do PSDB, a sigla PT hoje é a mais desgastada e mais identificada com corrupção”, conclui. O parlamentar afirma ainda que a força eleitoral de Lula não é mais a mesma.

 

O deputado estadual João Jaime (DEM) também acredita que o ex-presidente não tenha mais força eleitoral para vencer uma eleição e disse que a possibilidade de candidatura é “estratégia” do partido para “tirá-lo da situação em que ele se encontra”.

 

Saiba mais

 

O presidente do PT Rui Falcão, afirmou que os militantes petistas devem opinar publicamente sobre a possibilidade de o ex-presidente Lula ser novamente candidato à Presidência. A expectativa do petista é que, com as manifestações públicas de apoio à candidatura, Lula possa ser lançado à sucessão de Temer no Congresso Nacional do PT, programado para ocorrer de 7 a 9 de abril, e não na sexta-feira.

“O Diretório Nacional, reunido em 20 de janeiro de 2017, deve apresentar a candidatura de Lula à Presidência da República, conclamar a mobilização por diretas já e a construção da unidade popular de esquerda”, diz, contudo, nota assinada pelo secretário nacional de Formação do PT, Carlos Árabe, representante da corrente Mensagem.

 

Adriano Nogueira

TAGS