PUBLICIDADE
Jornal

Mauro Filho levou ao Governo Federal ideia defendida por Ciro em campanha

| PREVIDÊNCIA | Se a ideia for aceita, o PDT tentará a aprovação no Congresso Nacional

01/02/2019 03:48:54
MAURO FILHO apresenta proposta de reforma da Previdência
MAURO FILHO apresenta proposta de reforma da Previdência

O secretário do Planejamento e Gestão do Ceará e deputado federal eleito Mauro Filho (PDT) esteve ontem, 29, em Brasília, para encontro com Rogério Marinho, secretário especial da Previdência Social, pasta vinculada ao Ministério da Economia. Na conversa, que durou aproximadamente uma hora e meia, Mauro Filho apresentou proposta de reforma previdenciária.

Conforme Filho, a ideia levada à secretaria é exatamente a que foi defendida pelo candidato derrotado à Presidência, Ciro Gomes (PDT), de quem é aliado. "Eles têm algumas ideias e achamos interessante ter convergência de entendimento de alguns princípios da proposta que eles vão enviar ao Congresso".

Coordenador do plano econômico de Ciro, Filho ressalta os pilares da proposta. O primeiro pilar, prevê política assistencial financiada pelo Tesouro; o segundo seria regime de repartição (hoje o teto utilizado é o do INSS, de R$ 5,6 mil); e o terceiro, de capitalização, "propondo a contribuição do trabalhador e contribuição do patronado". Neste regime, por definição, o déficit é zero, defende Filho.

Segundo o pedetista, a proposta guarda sintonia com as melhores práticas da América Latina. Quem não adota este regime, diz, é a Venezuela de Nicolás Maduro e a Argentina de Mauricio Macri, "que não são bons exemplos para ninguém".

Se a ideia for acatada pela equipe econômica de Bolsonaro, destaca Filho, o PDT irá concentrar esforços para a aprovação da reforma no Congresso Nacional. Oposicionista, ele descarta qualquer possibilidade de impactos políticos negativos entre o partido, lideranças e o bloco PDT-PSB-PCdoB. Para a visita, inclusive, diz ter tido aval de Ciro e do governador Camilo Santana (PT). "É essa a nossa diferença: não vamos ser oposição por oposição. Vamos ser oposição naquilo que percebermos não contribuir para o povo".

Rogério Marinho disse que o contato com Mauro Filho se deu após acompanhar ações dele como secretário, além de entrevistas. "As contribuições que ele traz são importantes e serão levadas em consideração". O titular ressalta que o convite teve aprovação de Guedes. Em busca de um modelo com força de aprovação, Marinho acrescentou que escutará outras vozes, com concepções similares e diferentes. "Todos aqueles que querem contribuir são bem-vindos. Não somos donos da verdade".

O deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) disse que a sua sigla não aprovará as reformas defendidas por Michel Temer (MDB) e Jair Bolsonaro (PSL), que "não enfrenta privilégios". Assegurou que, se a ideia de Filho for aceita, será recebida e discutida pelo partido. Como Filho, também descartou desconforto entre o bloco. Na avaliação dele, o Governo Federal recebeu um intelectual para discutir. E nada além disso.

Carlos Holanda

TAGS