PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

As implicações do embate sobre Israel e palestina

Polêmica. Embaixada

19/04/2019 13:26:12

Sobre a proposta de transferência da embaixada brasileira em Israel de Tel Aviv para Jerusalém, decisão que também segue a linha de Donald Trump, o presidente eleito Jair Bolsonaro mantém a promessa de campanha eleitoral. A medida, que tem em vista os eleitores evangélicos e uma aproximação com o governo israelense, representaria a adoção de um posicionamento diante de uma disputa, que existe há décadas, na qual o Brasil sempre buscou manter uma posição neutra.

É consenso entre os especialistas que a mudança traria tensões muito claras para a política e a economia brasileiras. Sidney Ferreira Leite acredita se tratar de uma "decisão equivocada". A disputa entre Israel e Palestina sobre Jerusalém é histórica. "Preocupa perdermos um espaço de mediadores que historicamente construímos e vem rendendo positivamente". Além disso, ao se posicionar do lado de Israel, o governo brasileiro iria contrariar a política de negociação de paz da ONU entre Israel e Palestina.

A preocupação se reflete nas palavras de Denilde. "Vai ser uma mudança muito grande e com implicações que já até sentimos com o cancelamento (do encontro diplomático do chanceler brasileiro, Aloysio Nunes, com o embaixador egípcio) feito pelo Egito. Provavelmente, teríamos outros países adotando medidas de contenção".

Por não se tratar apenas de uma questão econômica, para Oswaldo Dehon, a decisão, ainda em análise, "cria problemas com o mundo árabe. Não apenas nas questões comerciais, mas políticas e culturais". Os países árabes são importantes no cenário comercial brasileiro, pois são considerados grandes parceiros, e a possível transferência poderia significar um distanciamento entre esses países e o Brasil.

TAGS