PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Bolsonaro diz que pode indicar mais quatro ministros até sexta

| MINISTÉRIOS | O presidente eleito voltou a afirmar, em coletiva de imprensa, que o quadro ministerial de seu governo pode contemplar 17 pastas

19/05/2019 18:31:27
?BOLSONARO retornou ao Congresso pela primeira vez após eleito presidente
?BOLSONARO retornou ao Congresso pela primeira vez após eleito presidente (Foto: EVARISTO SÁ/ AFP)

Na primeira visita ao Congresso Nacional desde que foi eleito presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL) reafirmou seu compromisso com a Constituição Federal, e disse que todos os Poderes da República têm o compromisso de preservar a Carta Magna, que completa 30 anos. Mais tarde, em coletiva de imprensa, afirmou que outros quatro ministros podem ser anunciados até sexta-feira.

"Na democracia só existe um norte que é o da nossa Constituição. Juntos, vamos continuar construindo o Brasil que nosso povo merece. Temos tudo para ser uma grande nação", defendeu na manhã de ontem, ao declarar estar feliz com o retorno à Casa Legislativa.

Pouco antes, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, defendeu que, passadas as eleições, o Brasil precisa encontrar um ponto de união em meio às diferenças. Toffoli defendeu dedicação às reformas essenciais e destacou, como principais, as mudanças previdenciárias, tributárias e fiscais e a promoção da segurança pública.

?Também ontem, Bolsonaro visitou o Comando da Marinha, em Brasília, e, em seguida, durante coletiva de imprensa, afirmou que pode anunciar novos nomes para compor o futuro governo até sexta-feira. Ele também voltou a dizer que o quadro ministerial final pode contemplar 17 pastas.

De acordo com Bolsonaro, já há conversas sobre quem virá a ocupar os ministérios de Relações Exteriores, de Infraestrutura, de Agricultura e Meio Ambiente. Sobre estes dois últimos, ele disse que a tendência é não haver fusão. "O próprio setor do agronegócio nos procurou e nós repensamos a fusão. Não é recuo, não. Nós podemos ser convencidos do contrário", disse.

Sobre a possibilidade de o senador Magno Malta (PR-ES) ser indicado para a eventual Ministério da Família, que irá abrigar diferentes pastas ligadas a questões sociais, o presidente eleito se limitou a dizer que "é possível".

O presidente eleito afirmou ainda que o general Augusto Heleno pode ser indicado para ocupar o Gabinete de Segurança Institucional (GSI). "Vou pensar." General Heleno havia sido inicialmente indicado para o Ministério da Defesa. Porém, o desejo do presidente eleito é mantê-lo próximo ao núcleo duro do Palácio do Planalto. Para o presidente, caso Heleno seja deslocado para o GSI, "alguém da Marinha pode ocupar a Defesa".

Bolsonaro também disse que seus ministérios "com certeza" terão a participação de mulheres. Questionado sobre a ausência de mulheres entre os nomes anunciados até agora, ele respondeu que não é o caso de trocar um dos nomes "só porque é mulher", mas sinalizou que pode escolher uma representante para as pastas que ainda estão indefinidas.

"Temos cinco nomes definidos, é o caso tirar um desses e colocar uma mulher no lugar só porque é mulher? Não sei. Tem dez ou doze vagas em aberto, com toda certeza vai ter (mulher)", disse. (Com agências)

nome

TAGS