VERSÃO IMPRESSA

Pelas vias de Paris

00:00 | 25/03/2018

CONEXÃO_LIFEAHOLIC

 

1_ Os chineses têm a cor laranja como perfeição. Na música, a fruta deu madura, na beira da estrada. Brotou em palácio, sobrenome real. Pela telinha, a fruta muda de cor, vira New Black, tom up to date. No cinema, batizou o cult de David Kubrick. Na aviação foi impossível vingar, pois é enjoo na Psicodinâmica. Tampouco em René Magritte, que pintou o Filho do Homem com uma maçã verde no rosto. Mas eu prefiro Orange Sanguine (foto), do Joel Robuchon, recheada com merengue aromatizado, caramelo e outros segredos e pulos do gato, de uma das casas mais recomendadas pelos bec fin. Atual, sempre se reinventando, JR não nos faz ver suas estrelas na hora da ‘douloureuse’.

 

2_ chapô!’_ Não importa se o chapéu é alheio, mais vale a cortesia. Em italiano, saúde com Borsalino; se o idioma for espanhol, faça com um equatoriano Montecristi, da Brent Black; o gesto, ao vetusto british style, que seja com os da Lock & Co.; se o inglês for americanizado, vale um Stetson; no bom português, um Indiana Jones, da Casa Cury; mas, em francês, a graça só pode ser feita com um Motsch, que integra o circuito da lojas mais antigas de Paris (fondée em 1887). O modelo é um ‘mantoue ,‘ de Inverno. A maison fica no miolo do triangle d’or, na esquina 42, da George V, mas encontra-se em reforma. O leitor poderá adquirir um Motsch na Hermès, que fica na mesma avenue, n. 39.


3_ de niche_ Na seção ‘Eu Recomendo’, segue a dica de um perfume do JAR, ‘Jardenia’(o Jota foi proposital, bien sûr). Desnecessário dizer que trata-se de um produto de ‘niche’. Na loja, da Castiglione, n. 14, rosas de couro, dentro de cúpulas de cristal, desempenham o papel de provadores. As iniciais são de Joel Arthur Rosenthal, um joalheiro, judeu-americano, radicado na Praça Vendôme, que só atende por indicação e hora marcada.Uma de suas maiores clientes é brasileira Lily Safra, mas Lucia, a falecida viúva Walter Moreira Salles, também possuiu alguma coisa do exclusivo JAR.


Na cerimônia de posse, Patricia e a pequena Olivia Rocha, membresia da família presidencial idealina


Weiber Xavier, maturante das caves março, um dos poucos que ainda guardam o ofício do médico de família

 

NEWS

upper crust_ A saudosa dona Alva servia cajuína, mas seu queridinho Zé Guedes ampliará o carta do bar, em noitada totalmente azul, matiz oficial do dia 13. / Laerte Bezerra Filho aniversaria. Ele é o embaixador informal do Ceará, em Washington. / Norma Lazar leva Baquit, Ary, Karam, Busgaib e Romcy para o Líbano, outro paraíso da gastronomia, onde a pâtisserie é refinada e as ‘mezzes’ encantam, haja vista a qualidade e o sabor.

 

GABRIELLE ZARANZA

TAGS