PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Amor e trabalho: como conciliar?

03/07/2019 06:34:52
Vanuza Ferraz 
Psicóloga do Instituto Empresariar
Vanuza Ferraz Psicóloga do Instituto Empresariar (Foto: Acervo pessoal)

Os desafios da vida moderna e o avanço da mulher no mercado fez com que muitos casais se juntassem em mais um empreendimento, além do casamento e do cuidar do lar e dos filhos. Na era em que não mais só o marido vai para a lida diária em busca do sustento da família, a mulher se enquadra agora com força nesse contexto, levando muitos casais a empreenderem juntos.

A questão é, como conciliar as relações afetivas com as empresarias? A resposta não pode ser exata, posto que cada pessoa age de uma forma junto àquele que se relaciona. Costumo orientar que com um pouco de sabedoria advinda de uma maturidade do casal, trabalhar numa empresa familiar com o maridão pode funcionar sim, desde que busquemos uma relação de respeito dos nossos papéis, não esquecendo do compromisso enquanto família. Dessa forma podemos através da nossa conduta buscar sempre os dois olhares, observando-se no relacionamento uma hora como o esposo e outra hora como empresário.

Quando ambos, enquanto casal, conseguem perceber que essa união pode render frutos não somente na constituição de uma família, mas também no campo dos negócios, eles podem conquistar uma força nos empreendimentos como no próprio relacionamento. A relação do casal na empresa familiar pode possibilitar mais uma forma de um conhecer mais o outro entendendo suas limitações e valores. Vale ressaltar, no entanto, que se o casal já carrega há muito tempo conflitos conjugais, se torna importante que estes se ajustem de forma que esse mal-estar afetivo não contamine os negócios, podendo até a piorar a relação que já está em falência.

Uma relação pautada no respeito aos valores do outro e na compreensão das dificuldades de cada um, tende a perpetuar frutos financeiros. Assim, o casal tem mais uma possibilidade de construir juntos uma outra família, que brota no seio da empresa. Avalio que, por meio de algumas iniciativas no mercado voltadas para o ambiente empresa familiar, tratando além do negócio, o cuidado com as famílias-empresárias é possível e indicado integrar os indivíduos-chave, a família, o negócio e os sócios. 

Vanuza Ferraz