PUBLICIDADE
Jornal

Encontrei na rua

Perguntei "que horas?"

À senhora,

Sem horas.

Sem voltas,

Me respondeu.

Acreditei, repasssei.

Ao idoso, no posto,

ao jovem atrasado,

ao moço do relógio 'acertado'.

"Errado" corrigi,

Sem saber que errado fui eu,

E à noite não chegou

Às seis,

Porque tão cedo era

Que ainda não havia apagado-se

A vela do céu.

Quem olhou no relógio

Pode aproveitar o pôr do sol,

Sem demorar.

Quem acreditou esquentou a cabeça

No calor da tarde quente e seca.

Felipe Soares do Nascimento

TAGS