PUBLICIDADE
Jornal

Votos para 2019

11/01/2019 01:30:00

Consumado o golpe que usurpou o mandato de Dilma Rousseff, em 2016, e tirou Lula das urnas para a condição de preso político, alertei em vários pronunciamentos na Câmara Municipal que o prometido crescimento econômico não seria retomado sem que o País reparasse seus retrocessos democráticos. A ideia é simples: não há estabilidade quando as instituições são desestruturadas, desmoralizadas e desvirtuadas em razão de interesses políticos circunstanciais. 

 

E, sem estabilidade, não há investimento produtivo. Passados dois anos e meio, este alerta se converteu em realidade como provam os nosso 13 milhões de desempregados.

 

Lamentavelmente, os mesmos interesses econômicos que deram sustentação ao golpe desaguaram na eleição de um candidato despreparado e obscurantista, eleito com ajuda de fake news e denúncias de caixa 2, ignoradas por Moro, Dalagnol e companhia.

 

Tal desfecho, como já demonstrado, não nos poderá conduzir à bons ventos na economia e, muito menos, à avanços no enfrentamento de nosso principal desafio histórico: a imensa e cruel desigualdade que faz do Brasil um pobre país rico.

 

O esvaziamento das políticas sociais previsto no novo governo, que apregoa a redução do tamanho do Estado, aumenta as distâncias e tende a prolongar e piorar as condições já sofridas por nossas mulheres, pelas pessoas com deficiência, negros, indígenas e, sobretudo, de todo o povo pobre.

 

Por isso, para 2019, meus desejos se concentram na resistência da sociedade civil e no realinhamento democrático das instituições. Que o Judiciário, especialmente o STF, dê limites à utilização política de processos penais. Que o Legislativo preserve os direitos civis, sociais e econômicos consagrados na Constituição de 1988. E que o Executivo compreenda que a eleição é para presidente e não para imperador e se coloque a serviço da evolução civilizatória que, a duras penas, temos perseguido ao longo de nossa História. 

 

Guilherme Sampaio 

guilherme13234@gmail.com

Vereador de Fortaleza (PT)

 

TAGS