PUBLICIDADE
Jornal

Impactos do Bolsa Família para economia

01/02/2019 03:48:17
Jair Araújo
Chefe do Departamento de Economia Agrícola da UFC
Jair Araújo Chefe do Departamento de Economia Agrícola da UFC

O problema da pobreza é decorrente de políticas macroeconômicas inconsistentes que, acumuladas ao longo do tempo, levam à estagnação, ao desemprego e à queda de investimentos na economia. A consequência disso se reflete no baixo crescimento econômico que agrava ainda mais a pobreza. No Brasil, esse quadro não é muito diferente de outros países pobres. Segundo a Síntese de Indicadores Sociais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, aproximadamente 54 milhões de pessoas são pobres no País.

Não se pode negar que muitas ações de combate à pobreza foram implementadas no Brasil. Dentre essas, tem-se o Bolsa Família (PBF). Esse programa, tem como missão cumprir três linhas para o desenvolvimento da sociedade à saber: promover a segurança alimentar, combatendo a fome; trazer melhoria no quadro da pobreza e disponibilizar o acesso à rede de serviços públicos. É inquestionável que o PBF possui alcance em todas as regiões brasileiras e visibilidade em todo território nacional, atingindo milhões de famílias e colaborando na melhoria das suas condições de vida, principalmente na área da alimentação. No entanto, a política não tem sido suficiente para lidar com a ruptura da pobreza, sendo necessário um conjunto de ações articuladas que tratem da pobreza em sua dimensão estrutural.

Esses dias o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, apresentou, no Palácio do Planalto, as 35 metas prioritárias dos primeiros 100 dias de governo. Dentre elas, está a concessão de décimo terceiro salário para beneficiários do Bolsa Família. Acredito que os benefícios serão: aumento do consumo com a renda adicional e alteração na dinâmica da economia em diversos municípios e localidades pobres. Haverá, ainda, melhoras das condições de vida da população mais pobre ocorrendo redução da desigualdade social. Com relação ao mercado de trabalho, mesmo que exista polêmica em torno do programa por supostamente desestimular a procura por trabalho, acredito que isso não deve ocorrer, pois, as famílias beneficiadas recebem um valor baixo do benefício e optarão por buscar trabalho, ainda que informalmente. n

Jair Araújo

TAGS