PUBLICIDADE
Jornal

Iracema, guardiã de Fortaleza!

Às vezes, estás tão perto mesmo longe. Às vezes, parece apenas uma simples visão. Em tempos de bonança, ao teu redor, concentram-se multidões que, com afinco, extraem o teu melhor. Todavia, em tempos difíceis, ninguém ousa te acompanhar. Como uma guerreira valente, sempre estivera lá.

Repleta de selfies a todo instante, és atraída por uma fútil necessidade de quem se importa apenas com a vivência do momento. Este, por sua vez, é meramente passageiro. Todavia, um minuto torna-se infinito, e, o infinito destrói-se em um minuto. Por isso, não é bom desviar-se do foco de tua árdua missão. O vigiar, este sim, deve ser sem cessar.

Dia e noite proteges os que estão perto de ti. E os que estão longe... ah! Estes dormem mais tranquilos. Certamente, os inimigos de outrora já não retornam há séculos. Com olhos de águia não se distrai por um só segundo. Atenta sempre estará, e no momento certo, teu arco e tua flecha transformar-se-ão em uma arma letal. Avante, guerreira! O alvo é o inimigo.

O grande mar está a sua frente, mas seu banho é tomado pela maresia todos os dias. Atrás de ti se firmam lindos arranha-céus. São inúmeras as belezas artificiais, sobretudo, nada se compara a grandeza da tua representação histórica desenhada e esculpida a céu aberto. Doravante, não conhecem a razão de tua nobre existência, que, alimentada por uma história rica durante anos, se converte na identidade da própria região. Mesmo assim, incessantemente, protege a todos sem distinção.

Não sabes ao certo, mas, toda a tua tranquilidade cessará. E, novamente, a guerra tornará a vir sobre ti. Mas, como guerreira valente, jamais desistirá.

Por isso, volto a afirmar:

Às vezes, estás tão perto mesmo longe.

Às vezes, parece até mesmo, apenas uma visão.

Mas eu sei que sempre estás lá.

Os símbolos turísticos, além de se tornarem grandes atrações, também representam um convite especial para a busca de conhecimentos que ainda não foram explorados como deveriam. Uma cultura se fortalece através do conhecimento disseminado. Portanto, valorize as representações simbólicas e suas histórias. n

Marcos Costa

TAGS