VERSÃO IMPRESSA

A construção dos currículos

01:30 | 09/07/2018

No Brasil, talvez no mundo, a questão do currículo está sempre posta nas reformas e organização da educação. Um grande impasse, unificar ou diversificar? Esta questão tem permeado todas as reformas educacionais no Brasil. A última versão coloca o currículo único como uma conquista da democracia.


Entretanto, precisamos olhar com mais cuidado a questão, com certeza a humanidade sistematizou um conjunto “enciclopédico” do conhecimento. A ideia de organizar a enciclopédia, juntando o conjunto do conhecimento alcançado pelo homem tornou-se um movimento histórico (enciclopedistas) e, assim, devemos procurar as bases desse conhecimento como um direito de todos os cidadãos.


Por outro lado, o sujeito não aprende o que se quer, mas aquilo para o qual tem esquemas de assimilação. Assim, a aprendizagem proposta (currículo) deve partir do mundo circunvizinho para o geral.

Paulo Freire demonstrou a ideia de “Universo Vocabular” para mostrar que se aprende à partir do conhecido rumo ao desconhecido.


Nesta concepção, os currículos devem contemplar os conteúdos mais básicos de âmbito extensivo (igual em todo País), como as operações básicas da matemática (aritmética) e da língua mãe (o bem falar). E tudo o mais focar na comunidade, na existência cotidiana do individuo considerando o arcabouço das conquistas humanas, como as artes.


A arte é ação básica do humano, mas seu conteúdo deve adequar-se às comunidades e objetivos locais do feito educacional. A música ouvida explorará os clássicos, a cantada pelas comunidades. A pintura mostrará o geral e o local, a reprodução e a criação. E assim em todas as artes.


Vemos desta forma a complexidade da construção curricular. Antes de tudo, devemos levantar os aspectos culturais da comunidade que trabalhamos: quais esportes gostam, quais músicas cantam, quais alimentos comem... Escolher o currículo geral de forma criteriosa para não encher a escola de conteúdos que não se relacionam com o educando.


Podemos dizer, pois, que todo currículo é a construção dos educadores envolvidos nos projetos, com a maturidade de organizar o equilíbrio entre as bases amplas e a vivência do educando.

 

Adriana Oliveira Lima

adri.o.l@hotmail.com

Educadora e escritora

TAGS