VERSÃO IMPRESSA

Justiça Social ?

01:30 | 21/05/2018

Boas notícias estão chegando, oriundas da Petrobras. No primeiro trimestre de 2018, a empresa deu um resultado de 7 bilhões de reais, em consequência de uma administração segura de Pedro Parente. Isso mostra que o impeachment de Dilma ocorreu na hora certa, antes que o Brasil se tornasse uma grande Venezuela.  

Entretanto, o País continua dirigido por um bando do MDB que, aliado ao PT por mais de 12 anos, fez um estrago no Brasil. É lamentável que os quadros históricos e atuais do MDB, PSDB e PT tenham fingido ter lutado pela democracia. Na verdade, pensaram, antes, no poder e no gozo do enriquecimento. A mentira e o furto têm estado presentes, quase sempre, nos governos da nova república brasileira.
 

As expressões “tudo pelo social”, de Sarney, e os benefícios do “bolsa família”, de Lula, perderam-se no espaço, em meio aos bilhões de reais surrupiados do povo e caídos nos bolsos dos políticos e empreiteiros. Gedel Vieira encheu malas com 53 milhões, destinados a amigos e comparsas. Mais recentemente, as investigações constataram que Lula e Gleisi Hoffman se beneficiaram de 40 milhões, subtraídos de um empréstimo de um bilhão de  reais que o BNDES havia destinado a Angola.


Em meio a todo esse turbilhão de crimes perpetrados, há aqueles que se dizem mais democratas que os demais, defendem a libertação do criminoso e chefe, realizam peregrinações a Curitiba e dão suporte moral a Lula, Eduardo Cunha, Sérgio Cabral, Antonio Palocci e a tantos outros presidiários do  gênero.
 

As eleições estão próximas. Espera-se que a população afaste legisladores e executivos envolvidos no tráfico do dinheiro público e escolha quadros idealistas e comprometidos com o real desenvolvimento do País. Que se faça, no Brasil, a verdadeira justiça e não a chamada “justiça social”, apregoada pelos populistas que rasgam e esbanjam o dinheiro público em proveito próprio.

 

Pedro Henrique Antero
phantero@gmail.com
Professor de Ciências Políticas

TAGS