VERSÃO IMPRESSA

A vida brota no semiárido

01:30 | 21/05/2018


O Governo do Estado do Ceará destaca-se com eficiência nas políticas públicas de convivência com o semiárido, afinal a delicadeza desse recorte ambiental representa 95% do território cearense. O Projeto Paulo Freire é uma feliz iniciativa implementada, em parceria com o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida), agência das Nações Unidas, alinhado ao combate e superação da pobreza rural. Abrange 600 comunidades pobres nos 31 municípios cearenses de menor Índice de Desenvolvimento Humano – IDH. Viabiliza assessoria técnica durante três anos para as famílias que são beneficiadas, por meio das entidades da sociedade civil organizada. 


Esse projeto garante o fomento produtivo, o desenvolvimento de capacidades com processo formativo de acesso às políticas públicas que atendem os povos do semiárido: tem recorte de inclusão das mulheres (com a temática de gênero), da juventude rural (com a mobilização social), indígenas, pescadores artesanais e quilombolas e promove o protagonismo e os instrumentos necessários para o desenvolvimento rural sustentável.
 

O monitoramento combina os indicadores quantitativos e qualitativos numa perspectiva de avaliação dos resultados, mediante os objetivos previstos. O desafio é diminuir em 30% a pobreza nos municípios atendidos e incluir, no mínimo, 30% de mulheres e jovens nos investimentos produtivos. O projeto dispõe ainda de um estudo de linha de base.
 

Entre outras ações, conta-se com as boas práticas dos intercâmbios para troca de experiências, feiras da agricultura familiar e agroecologia, dias de campo e oficinas temáticas compondo um cenário qualitativo de aprendizagem. Atualmente são 22 mil famílias participando diretamente das ações do projeto.
 

Freire reflete que “Ninguém liberta ninguém. As pessoas se libertam em comunhão”. A metodologia baseia-se na construção da mundivisão freiriana, na valorização do saber coletivo e no legado que torna as comunidades detentoras de práticas agroecológicas de convivência com o semiárido. As tecnologias sociais como cisternas de primeira água e de produção, reúso de água e biodigestor fazem parte desse ambiente vivo onde floresce a agricultura familiar.

 

Maria Íris Tavares Farias
iris.tavares@sda.ce.gov.br
Historiadora e coordenadora
do Projeto Paulo Freire

TAGS