VERSÃO IMPRESSA

Rússia 2018: América domina compra de ingressos

01:30 | 09/04/2018


Restam 66 dias para o início da Copa do Mundo de 2018 com o aguardado, porém nem tanto, encontro entre Rússia e Arábia Saudita, partida válida pelo grupo A do torneio entre seleções mais importantes do planeta. Com a proximidade do evento, a Fifa começa a divulgar balanços parciais das vendas dos ingressos realizadas para a competição. No mais recente levantamento, divulgado há cinco dias, em primeiro lugar está o país dono da casa, obviamente. Foram 216.134 bilhetes comercializados para os russos, que estarão em grande número nos 12 estádios que vão sediar as partidas; O restante da relação mostra, na sequência, Estados Unidos, Argentina, Colômbia, México, Brasil, Peru e China como os países que mais compraram tickets até agora. O primeiro europeu que surge na lista, além da Rússia, é a Alemanha, com 5974, apenas na nona colocação. A Austrália está em décimo.
Não é algo para se surpreender. A falta de interesse de torcedores do próprio continente se explica de forma clara e há motivos relevantes: o receio pela presença constante de hooligans no país - torcedores vândalos com comportamento basicamente destrutivo que assustam quem vai com o objetivo de apenas se divertir com futebol; idioma desconhecido, políticas públicas polêmicas que não privilegiam os direitos humanos e falta de hospitalidade. 


Nesta mesma época que antecedia as Copas da África e do Brasil, por exemplo, lugares bem mais distantes do que a Rússia para os europeus, os países do velho continente, não considerando as sedes, respondiam por cerca de metade dos ingressos comercializados. A Copa do Mundo é uma festa onde quer que seja realizada. Certo ou errado, durante os 30 dias de jogos os escândalos das mais diversas ordens são relevados para que os melhores atletas de futebol do mundo possam jogar em paz. Foi assim por aqui, por exemplo, em 2014. Na Rússia, que tem tudo para ver uma competição de nível técnico altíssimo, as arquibancadas serão tomadas pela América.

 

Fernando Graziani
graziani@opovo.com.br
Editor de Esportes

TAGS