PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Lowsumerism: o difícil equilíbrio entre ser e ter

01:30 | 16/04/2018

Uma grande tendência mundial de comportamento começa a emergir e se fortalecer, o lowsumerism. Este movimento fala sobre o consumo consciente que nos faz refletir sobre a necessidade do que estamos comprando e nos leva a aprender a dizer não aos exageros e apelos de consumo. Uma visão crítica a respeito do consumo como fonte de prazer e satisfação. Se eu estou feliz eu me recompenso. Se estou triste, compro algo para me fazer sorrir. Essa festa de pequenos prazeres compensatórios dentro da cultura do “eu mereço” alimenta o hiperconsumo. O lowsumerism significa consumir menos e melhor, com mais qualidade e de forma mais responsável também com o meio ambiente. A consciência reflexiva versus à gratificação instantânea.

No esteio do lowsumerism surgem outros movimentos como o upcycling que é o reaproveitamento de materiais antigos ou que seriam descartados. A economia do compartilhamento é um forte alicerce para o lowsumerism. Uber, Airbnb, Coworking, bicicletas compartilhadas. Você usufruiu, mas não possui. O desejo de consumo não cessa, apenas você não tem mais a posse do produto.

O impacto é direto em nosso meio ambiente. Um terço dos recursos naturais da Terra já foi consumido. Quanto você mais consome, mais papel, plástico, petróleo, energia e tantos outros elementos são utilizados, gerando um efeito em cadeia. Como aderir a esse movimento? Pare e responda para você mesmo a estas perguntas:

– Eu realmente preciso disto? Pensar antes de comprar.

– Eu posso pagar por isto sem contrair dívidas? Ou apenas quero me sentir incluído em um meio social?

– Eu sei a origem deste produto e para onde ele vai depois que o descarto? O impacto ambiental.

Tentar viver apenas com o que é realmente necessário. As nossas decisões e escolhas de hoje é que vão possibilitar a construção de um cenário futuro viável. Será que conseguimos ?.

 

Gal Kury

galkury@galkury.com

Consultora de Marketing e Professora Universitária