VERSÃO IMPRESSA

Economizar enquanto temos

01:30 | 09/04/2018


Estamos em plena quadra invernosa e as precipitações havidas até o momento não têm sido suficientes para recuperar os níveis necessários de armazenagem de água. Por outro lado, as previsões são de que a distribuição das chuvas nos próximos meses será abaixo da média histórica. É preocupante o fato de a população não parecer consciente do quanto isso pode representar da possibilidade de faltar água mais para o final do ano.


Ademais, a chegada das águas do rio São Francisco ao nosso estado, esperada para meados deste ano, seguramente não ocorrerá e, para complicar a já difícil situação, ainda falta construir o trecho do Cinturão das Águas do Ceará, que deve ligar o canal do São Francisco com o Rio Salgado, para abastecer o açude Castanhão. Essa circunstância obriga a contarmos somente com o muito pouco que temos armazenado, somado ao que ainda possa chover. Assim, tudo indica que, quando cessarem as chuvas, os reservatórios não terão atingido nível suficiente para atender a todas as necessidades do consumo.
 

Animados com o verde que se pode observar em toda parte, muitos cearenses não estão se dando conta dessa ameaça. Pois embora algumas microrregiões tenham conseguido armazenar boa quantidade de água, por conta de precipitações privilegiadas, esta não é a realidade de todos os municípios. Não podemos esquecer que ainda há lugares sendo abastecidos por carros pipa.
 

Não podemos esperar até que se confirmem esses prognósticos negativos. O momento é de agir com firmeza e sentido de urgência. Somente a racionalização preventiva do uso da água possibilitará atravessarmos o ano de 2018 – sétimo ano consecutivo de insuficiência hídrica – preparados para enfrentarmos as incertezas de 2019. Os governantes, os dirigentes de entidades e as lideranças sociais precisam mobilizar toda a população para economizarmos água enquanto a temos.

 

Roberto Macêdo
roberto@pmacedo.com.br
Empresário

TAGS