VERSÃO IMPRESSA

Novos horizontes

01:30 | 05/03/2018

Roberto Macêdo

roberto@pmacedo.com.br

Empresário


A chegada a Fortaleza do South Atlantic Cable System (Sacs), ligando o continente africano à América do Sul, veio reforçar o entroncamento de cabos submarinos de fibras óticas, que já existe em nossa capital fazendo conexões com a Europa, os Estados Unidos e vários países hispano-americanos.


Esse fato lembrou-me uma imagem muito utilizada pelo meu pai, José Macêdo, para expressar uma das suas visões da vida e dos negócios. Para ele, saudável aos 98 anos, empreender é escalar montanhas, descortinando os horizontes que vão surgindo a cada cume alcançado.


A expansão da conectividade proporcionada pelo hub de fibra ótica gera grandes oportunidades para que o Ceará se transforme num polo tecnológico de importância global. Temos em nossas mãos imensas possibilidades de desenvolvimento e de atração de empresas de telefonia e de tecnologia da informação.


No momento em que vivemos a transição para um modelo industrial baseado na economia de conteúdos e de serviços, apoiado em plataformas digitais, o desafio maior que se coloca é o aproveitamento inovador desta valiosa infraestrutura para o aumento da nossa produtividade e competitividade.


Essa vertente tecnológica do desenvolvimento vem somar-se a outros horizontes visualizados, como o horizonte do turismo, potencializado pelas parcerias internacionais de tráfego aéreo com a Air France/KLM e Gol, e gestão aeroportuária com a Fraport, e o horizonte de logística marítima, a ser efetivada entre o Porto do Pecém e o de Roterdã.


A minha crença é que esses tipos de parcerias vão abrindo novos horizontes para outras formas de cooperação, imprimindo aceleração na dinâmica de desenvolvimento do Ceará. Na subida pela montanha de oportunidades da nova economia precisamos ter a ousadia de criar caminhos que nos levem ao desenvolvimento com benefícios para os negócios e para a sociedade.

 

GABRIELLE ZARANZA

TAGS