VERSÃO IMPRESSA

Mentindo na Política

01:30 | 19/03/2018
 

No memorável ensaio denominado “Mentindo na Política”, Hannah Arendt, grande filósofa do século XX, debruçou-se sobre o significado de documentos que tornaram-se conhecidos como os Papéis do Pentágono, um conjunto se relatórios secretos que explicita mentiras produzidas pelo governo norte-americano sobre seu envolvimento na Guerra do Vietnã. O tema foi revisitado no filme “The Post – a Guerra Secreta”, de Steven Spielberg indicado ao Oscar 2018 que focaliza a saga do jornal The Washington Post para difundir ao público tais documentos. A reflexão de Arendt e do filme iluminam o debate sobre circulação de falsas notícias nas redes sociais e em outras mídias e, claro, mentiras na política.


Segundo Arendt, a verdade “nunca esteve contabilizada entre as virtudes políticas” e, sim, manipulada e substituída pela mentira, usada como meio legítimo para atingir fins políticos. Longe de inofensivas, as falsas verdades podem no limite produzir tragédias humanas como a perseguição aos judeus sob o Nazismo, para citar um exemplo emblemático dentre tantos outros.


A habilidade de negar deliberadamente a verdade factual e a capacidade de mudar os fatos se articulam mutuamente. Mais que isto, devem sua existência à mesma fonte: a imaginação, fartamente usada pelos arautos do poder de todos os tempos.


Durante a campanha de 2016, Donald Trump fez eficiente uso deste recurso ao acusar Hillary Clinton de conluio com os russos. Ao longo dos últimos meses, porém, as investigações do procurador-geral Robert Mueller têm evidenciado que, ao contrário, a interferência russa sempre esteve mais próxima do candidato eleito presidente. À medida que os fatos são esclarecidos, as palavras de ordem “fake news” se incorporam ao jargão do republicano. Cedo ou tarde, porém, a verdade aflora. Filme e texto contribuem para compreender mentiras do passado e do presente; a política americana e a brasileira.

 

Sofia Lerche Vieira

sofialerche@hotmail.com

Professora da Uece e pesquisadora visitante do Lemann Center-Stanford

 

 

GABRIELLE ZARANZA

TAGS