VERSÃO IMPRESSA

Medidas microeconômicas são bem-vindas

01:30 | 19/03/2018

Percebe-se uma forte resistência na sociedade contra medidas microeconômicas propostas (ou aprovadas) recentemente. Alguns exemplos são: a cobrança de bagagens, possibilidade de desconto pelo pagamento em dinheiro e o (aperfeiçoamento) do cadastro positivo.


Argumenta-se comumente que maior liberdade na determinação de preços levaria necessariamente a lucros (ainda) maiores para empresas em detrimento dos consumidores.


Trata-se de um argumento que encontra pouca sustentação lógica e empírica em economia. A redução de ineficiências (objeto das medidas) usualmente gera benefícios para ambos os lados do mercado, mesmo em setores concentrados, como o bancário e o aéreo. Há vários exemplos que sustentam tal afirmação: crédito consignado e lei de alienação fiduciária reduziram juros do crédito pessoal, imobiliário e na aquisição de automóveis. No setor aéreo, a desregulamentação promovida na década de 90 permitiu maior oferta de voos e preços mais baixos, tornando serviço mais acessível - incluindo camadas de rendas mais baixas da população. A cobrança de bagagens pode até não reduzir preços significativamente, mas deve reduzir custo com combustível e tornar viáveis economicamente novas rotas ou até encorajar a entrada de uma nova concorrente de baixo custo. O projeto de lei, em tramitação no Congresso, que prevê inclusão automática do consumidor no cadastro positivo deve diminuir juros para o bom pagador, pois credores poderão avaliar melhor o risco de inadimplência.


Enfim, economia não é jogo de soma zero, o fato de um grupo (empresários) ganhar não implica que outro grupo (consumidores) perca. É claro que as medidas microeconômicas recentemente propostas não são suficientes para tornar tais mercados verdadeiramente eficientes, especialmente no setor bancário. No entanto, representam avanços nada desprezíveis e, portanto, deveriam encontrar mais apoio na sociedade.

 

Sergio Aquino de Souza

srgdesouz@gmail.com

Professor associado do Caen-DTE/UFC

 

GABRIELLE ZARANZA

TAGS