VERSÃO IMPRESSA

Vida

01:30 | 16/02/2018

Vida, vida boa, vida ruim. Momentos alegres. Momentos tristes. Vida. Triste notícia. A imprensa iniciou a semana passada a destacar melancólico fato ocorrido na Mecejana de Roraima. Não era a Messejana descrita por Alencar, quando, ao brilhar em Iracema, deu-nos, em prosa, um poema magnífico.  

Ótima notícia. A mesma imprensa fechou a semana com a alvissareira informação sobre a Coreia, não a do Sul, nem a do Norte, mas a provável Coreia da paz, da união.  

A triste notícia foi relativa a um possível caso de xenofobia contra 31 imigrantes venezuelanos em Roraima.  

A boa notícia, na sexta-feira, comemorava o desfile de uma delegação com 22 atletas, das Coreias do Norte e do Sul, numa mesma equipe. Uma só bandeira representou a Coreia na abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno.  

Os atletas norte e sul-coreanos foram aplaudidos pelos mais de 30 mil presentes no Estádio Olímpico. Não só no desfile, mas também após sofrer uma goleada de 8 a 0. O mundo, que assistia às duas Coreias em conflito desde 1950, foi sensibilizado com o gesto das duas a protagonizar uma lição de harmonia.  

O conflito entre as duas Coreias deu lugar à paz. E serviu de exemplo a nós 

brasileiros, que enfrentamos nas ruas uma guerra não declarada, cada dia mais violenta, a nos levar a pensar na opção de vida ruim.  

A imagem que permanece é a da bandeira da Coreia, com a cor branca da paz e o desenho da península que abriga os dois países. Ela foi hasteada a quatro mãos, pelo norte-coreano Chung Gum e pelo sul-coreano Yunjong Won. Esperamos não ter sido mais um fato ruim a se apresentar mascarado, não pelo Carnaval e sim pelo logro.  

Benjamin Franklin já dizia: “Nunca houve uma guerra boa nem uma paz ruim.” Se a paz entre as Coreias for realmente conseguida, poderemos dizer: Vida, vida boa, vida ruim. Momentos alegres. Momentos tristes. Vida que aí está para ser vivida. Vida boa ou ruim, a depender de nossas atitudes.

 

Tales de Sá Cavalcante tales@fariasbrito.com.br Reitor do Centro Universitário Farias Brito- FB Uni

TAGS