VERSÃO IMPRESSA

Joaquim Cartaxo: Estado protagonista

01:30 | 16/01/2018

Estudos do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), divulgados na primeira quinzena de janeiro, confirmam o modelo histórico de crescimento do Ceará. Modelo concentrador de atividades econômicas em Fortaleza e sua Região Metropolitana (RMF), que aprofunda desequilíbrios regionais e desigualdades socioambientais.


Referente ao Produto Interno Bruto (PIB) de 2015, seis dos 184 municípios cearenses participam com 60,9% (Fortaleza, Maracanaú, Caucaia, Eusébio, Sobral e Juazeiro do Norte); quanto ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), relativo a 2016, três municípios (Fortaleza, Maracanaú e Aquiraz) são responsáveis por 82% da arrecadação desse imposto.


A RMF concentra 65,2% do total do PIB cearense e a capital detém 43,2% desse total; de toda a arrecadação do ICMS, antes mencionada, Fortaleza participa com 72,04%.


Compõe o outro lado dessa brutal concentração de atividades, a concentração populacional. Informa o Ipece que da população total do Ceará, em 2011, a RMF participava com 44,38%, percentual que se elevou para 44,92%, em 2017, portanto o crescimento populacional de 7,04%.


Esses números nos colocam frente ao desafio de reduzir as desigualdades regionais e sociais, um dos princípios da ordem econômica preconizada na Constituição Federal.


O mercado como está posto não contribuirá para essa redução, pois a sua lógica de funcionamento é concentrar mais atividades e mais população, mais mão-de-obra e obter mais lucro.


Essa redução é uma ação em que o Estado a protagoniza, por intermédio de uma política de desenvolvimento e integração regional forte, capaz de identificar os fatores positivos que impulsionam o desenvolvimento com o objetivo de fortalecê-los e, simultaneamente, adotar as medidas necessárias para superar os fatores que restringem esse desenvolvimento, atentando para as peculiaridades políticas e culturais de cada lugar. 

 

Joaquim Cartaxo

cartaxojoaquim@bol.com.br
Arquiteto urbanista e superintendente do Sebrae-Ceará

 

GABRIELLE ZARANZA

TAGS