PUBLICIDADE
Jornal

Iana Soares: Quem é a Amazônia?

16/10/2017 01:30:00

Meu pai, o professor Jeovah Meireles, viajou a Natal e me mandou uma foto feita no desembarque. Pelo menos dez bois gordos, sob uma luz dourada, aparecem em um corredor de quatro metros ao lado da frase “Eu sou Amazônia”, escrita em tipografia marcadamente étnica. A propaganda é do Google Earth e traz a frase: “Descubra sua conexão com a floresta em: g.co/eusouamazonia”. Perplexo, me disse que foi o único cartaz visto em todo o trajeto até a saída do aeroporto. Podemos inferir, a partir da imagem, que os bois são a Amazônia.


Acessei o link. De forma didática, a plataforma interativa projetada pelo Google apresenta onze histórias que alertam para a urgência da preservação do ecossistema. O projeto teve produção do cineasta Fernando Meirelles e parceria com o Instituto Socioambiental (ISA). Povos tradicionais protagonizam os relatos em claro tom de denúncia e são usadas palavras como resistência, liberdade e conhecimento, entre outras, para sintetizar cada história. Em vídeos, mapas, fotografias e realidade virtual em 360º, índios, quilombolas personificam os dramas da floresta e a força da luta histórica e cotidiana.


Esses dias, outro amigo, o Jean dos Anjos e do mundo, destacou um trecho de Diante da dor dos outros em que Susan Sontag afirma que “assim como criam solidariedade, fotos subtraem solidariedade, distanciam as emoções”. O perigo, nos alerta a autora, é a tendência estetizadora da imagem que ao transmitir o sofrimento pode terminar por neutralizá-lo. Como podemos gerar ações que contribuam para a preservação e não para transformar a frase “eu sou amazônia” em um dizer cool para a próxima camisetinha da moda?


Ainda não entendi o porquê dos bois. Penso se é uma ironia, algo subliminar ou uma pretensa ideia de convivência entre diferentes modelos de “desenvolvimento”. É surreal achar que os povos da floresta podem viver em harmonia com mineradores e agronegócio, como se tivessem um poder simétrico ao de grupos que têm bancada própria na Câmara e no Senado. Segundo este site do Google, dos 750.000 km2 que já foram destruídos na floresta, 60% são ocupados por pastos. Isso equivale ao território da Espanha. No aeroporto, os bois recebem brasileiros e estrangeiros no mesmo contexto em que Michel Temer decreta o fim da Reserva Nacional do Cobre e Associados (Renca).

 

Iana Soares

ianasoares@opovo.com.br

Jornalista do O POVO

Adriano Nogueira

TAGS
NULL