PUBLICIDADE
Jornal

George Mazza: "Precisamos falar sobre a vida"

07/10/2017 01:30:00

A vida não tem defeito. Esse é o lema da 9ª edição da Marcha Pela Vida, evento tradicional e parte do calendário anual da cidade de Fortaleza, a ocorrer hoje, dia 7 de outubro, às 16 horas, no Aterro da Praia de Iracema. Fruto da dignidade humana, valor internacional e inquestionável, a vida do bebê em gestação deve ser protegida sob quaisquer aspectos. Mas não somente resguardar a vida do bebê: tão importante quanto é perceber a necessidade de proteção integral da gestante.


Neste cenário é que se coloca o movimento pró-vida nacional como baluarte na defesa da mulher brasileira. A Marcha pela Vida, signo do encontro democrático em defesa da vida de homens e mulheres, da proteção feminina e da salvaguarda dos bebês, apresenta-se como o símbolo social na defesa da pessoa humana.


Além disso, a Marcha se posiciona como evento político reivindicatório de proteção de direitos humanos, como a vida do nascituro. Em um cenário de constantes desrespeitos à preservação da vida humana intrauterina e em face da tentativa de legalização do aborto no País, o cidadão fortalezense precisa repudiar todo preconceito à vida por nascer. O cidadão brasileiro, em ampla maioria, é totalmente contrário ao aborto, e precisamos fazer representar essa estatística nas ruas da Cidade, em manifestações pacíficas.


A Marcha pela Vida é o local apropriado para mostrarmos às autoridades e à população brasileira que o aborto não pode ser legalizado em nosso País. A defesa da vida e a luta contra o aborto (este último como ofensa e desprezo pela vida e bem maior concedido a cada nascido, inclusive àqueles que defendem o aborto) não podem ser negligenciadas, relegadas à participação de menor importância.


Caso assim se faça, o espaço para a legalização do aborto restará ampliado, concretizado, dificultando a luta em defesa das mulheres e dos bebês em gestação. Dito isso, só nos restam duas alternativas: superlotar a Praia de Iracema hoje, dia 7 de outubro, às 16 horas, ou sucumbir lentamente perante a morte de nossas crianças.

 

George Mazza

georgemazza@gmail.com
Coordenador da Marcha pela Vida

 

Adriano Nogueira

TAGS
NULL