PUBLICIDADE
Jornal

O POVO é história de 08/08/2017

08/08/2017 01:30:00
HÁ 30 ANOS

1987. DESPEDIDA


Morre Thomaz Coelho; imprensa e política lamentam

O jornalista e ex-deputado Thomaz Coelho foi enterrado ontem às 17 horas, no Parque da Paz, reverenciado por amigos, políticos e companheiros da imprensa. Todos externaram seu pesar, lamentando a perda do homem público e do jornalista eficiente e crítico.

 

1987. VIOLÊNCIA


Escola depredada pela 11ª vez

Foi depredada a Escola do Primeiro Grau Senador Paulo Sarasate, no bairro Demócrito Rocha, pertencente à rede de ensino do Município. A unidade vem sendo alvo da ação de marginais das proximidades, sendo a 11ª vez que o estabelecimento é invadido e arrombado.

 

HÁ 40 ANOS


1977. IMPRENSA


Alencar Araripe, novo presidente da ACI

O jornalista J. C. Alencar Araripe foi eleito ontem Presidente da Associação Cearense de Imprensa. A escolha da nova Diretoria ocorreu no periodo de 8 as 18 horas, na sede da entidade, Edificio Perboyre e Silva. A Diretoria eleita governará a ACI pelo periodo de dois anos.

 

1977. FUTEBOL

 

Fortaleza ganha batalha final da guerra perdida

O Fortaleza ganhou a última batalha de uma guerra perdida: 1 x 0 sobre o Ceará, ontem a tarde no Castelão, perante um público reduzido (pouco mais de 10.000 pagantes) e uma das mais baixas rendas já registradas no clássico-rei do futebol cearense nos últimos anos: 203 mil cruzeiros.

 

HÁ 50 ANOS


1967. CURITIBA


Prêso o Bandido da Luz Vermelha

Localizado em Curitiba, de onde pretendia seguir para Joinville, foi prêso o “Bandido da Luz Vermelha”, Roberto Silva. Hoje, deverá se defrontar com as autoridades policiais de São Paulo, onde responderá por quatro homicídios e dezoito assaltos praticados nos bairros ricos da cidade.

 

1967. FORTALEZA


Abelhas assaltam

Um enxame de abelhas está tomando Fortaleza de assalto. Ninguém sabe de onde elas vêm. Ora ficam num poste, depois noutro e por aí vão assustando o povo. Uns dizem que elas são africanas, das perigosas, mas não se tem notícia de “vítimas fatais”.

Adriano Nogueira

TAGS