PUBLICIDADE
Jornal

Índia e Paquistão abatem aviões em disputa pela região da Caxemira

| tensão | Comunidade internacional teme por conflito entre as duas potências nucleares. Duas guerras pela soberania do território himalaia já foram travadas

28/02/2019 01:10:23
SOLDADOS paquistaneses ao lado dos destroços de avião indiano que teria sido abatido
SOLDADOS paquistaneses ao lado dos destroços de avião indiano que teria sido abatido

A tensão aumentou um pouco mais entre Índia e Paquistão, que afirmaram cada um ter derrubado aviões "inimigos", em uma dramática escalada entre as duas potências nucleares fronteiriças.

A situação preocupa a comunidade internacional, que teme um conflito aberto entre os dois países pela disputada região da Caxemira, tema de discórdia há décadas. Os dois países vizinhos travaram duas de suas três guerras pela soberania do território himalaia da Caxemira.

O primeiro-ministro paquistanês, Imran Khan, confessou sua preocupação com os acontecimentos: "Podemos nos permitir um passo em falso com o tipo de armas que temos e que vocês têm?", questionou, referindo-se ao arsenal nuclear de ambos os países. "Se a escalada começar, até onde irá?", lançou durante um breve discurso, em que voltou a pedir à Índia que "vá à mesa de negociações".

Mais cedo, a ministra indiana das Relações Exteriores, Sushma Swaraj, pareceu adotar um discurso apaziguador, afirmando que a "Índia não deseja a escalada".

O Paquistão afirmou que derrubou dois caças indianos em seu espaço aéreo e capturou os pilotos, insistindo que "não quer seguir no caminho da guerra" com o vizinho.

A Índia confirmou, por sua vez, que perdeu um de seus aviões e anunciou ter derrubado um caça paquistanês no espaço aéreo da Caxemira.

O Paquistão disse ter fechado o espaço aéreo "até nova ordem". Ao menos seis aeroportos também foram fechados na Índia, onde foram cancelados muitos voos, e uma ampla zona do espaço aéreo ao norte de Nova Delhi foi fechado aos voos civis.

Os incidentes foram os mais recentes de uma sequência entre os dois países, que enfrentam um momento de maior tensão desde o atentado suicida em 14 de fevereiro na Caxemira indiana que matou 40 soldados indianos.

Nova Délhi havia prometido represálias e na terça-feira aviões indianos sobrevoaram o espaço aéreo paquistanês para atacar um campo que apresentou como pertencente ao grupo Jaish-e-Mohammed, que reivindicou o atentado de fevereiro. Esse foi o primeiro ataque aéreo indiano no Paquistão desde a guerra de 1971, quando nenhum dos países tinha a bomba nuclear.

A capital do Paquistão, Islamabad, que negou que os ataques indianos tenham provocado baixas ou danos consideráveis, prometeu represálias, o que aumenta o temor de um confronto entre os dois países. (AFP)