PUBLICIDADE
Jornal

"Mariana deveria ter sido alerta"

| BOLSONARO | Governo cria gabinete de crise para tratar da tragédia em Brumadinho

26/01/2019 14:41:16

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) declarou ontem que a tragédia de Mariana (MG), em 2015, deveria ter servido de alerta para evitar o rompimento da barragem em Brumadinho (MG). Ele reforçou que "lamenta profundamente" o ocorrido e que esse tipo de episódio poderia ter sido evitado.

"Acionamos o gabinete chamado de crise em Brasília, ficaremos antenados aí 24 horas por dia para prestar informações à população, para colher informações também, de modo que possamos minimizar mais essa tragédia depois de Mariana, que a gente esperava que não tivesse uma outra, até por uma questão de servir de alerta aquela", declarou.

Bolsonaro também prometeu que o Governo Federal vai empenhar esforços para diminuir o impacto ambiental e as consequências à população. "Vamos tentar diminuir o tamanho do mal que essa barragem aí, ao se romper, proporciona junto ao Meio Ambiente e junto à população em geral."

O presidente pontuou, no entanto, que a prevenção deveria partir primeiro da empresa que executa obra em barragens. O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, reforçou que a tragédia não pode ser atribuída ao governo.

Das ações do Executivo, o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, determinou o envio de militares da 4ª Brigada de Infantaria a Brumadinho, na Grande Belo Horizonte, para "salvar vidas" de vítimas.

Bolsonaro confirmou que vai acompanhar os desdobramentos do rompimento da barragem. Ele estará acompanhado dos ministros do Meio Ambiente (Ricardo Salles), Desenvolvimento Regional (Gustavo Canuto) e Minas e Energia (Bento Albuquerque), além do secretário Nacional de Defesa Civil (Alexandre Lucas) e do presidente da Vale (Fabio Schvartsman).

A barragem de Brumadinho, controlada pela Vale, está classificada pela Agência Nacional de Mineração (ANM) como uma estrutura de "baixo risco". Por outro lado, segundo informações do Cadastro Anual de Barragens, o dano potencial que seu rompimento poderia causar é classificado como alto. (Com agências)

TAGS