PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Grupo de Lima quer auditoria nas eleições da Venezuela

01:30 | 18/10/2017

Os doze países da América que integram o chamado “Grupo de Lima” exigiram ontem a realização urgente de “auditoria independente” de todo o processo eleitoral venezuelano. Em declaração conjunta, os governos de Brasil, Argentina, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Honduras, México, Panamá, Paraguai e Peru “consideram urgente que se realize uma auditoria independente de todo o processo eleitoral, com o acompanhamento de observadores internacionais especializados e reconhecidos”.

O texto adiciona que com isso se busca “esclarecer a controvérsia gerada sobre os resultados deste comício e conhecer o verdadeiro pronunciamento do povo venezuelano”. A situação venezuelana venceu 17 das 23 governos em disputa - o último o poder eleitoral se atribuiu, mas ainda não fez o anúncio.

O Grupo de Lima foi criado em agosto passado na capital peruana, em ato durante o qual seus integrantes condenaram a “ruptura” da ordem democrática na Venezuela e desconheceram a Assembleia Constituinte impulsionada pelo presidente Nicolás Maduro, cuja eleição em julho foi acusada de fraudulenta pela oposição e é desconhecida pelos governos da América e da Europa.