PUBLICIDADE
Jornal

Líderes árabes reclamaram do Catar em encontro de maio

Arábia Saudita, Bahrein, Egito e Emirados Árabes Unidos anunciaram corte de relações com o Catar porque país financiaria extremistas

07/06/2017 01:30:00
NULL
NULL
[FOTO1]

Lideranças do mundo árabe reclamaram da postura do Catar em relação ao extremismo religioso durante a visita do mês passado do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ao Oriente Médio, afirmou ontem o republicano.


“Durante minha recente viagem ao Oriente Médio, eu declarei que não pode mais haver financiamento para a ideologia radical. Os líderes (presentes) apontaram para o Catar - olhe!”, escreveu em seu perfil no Twitter.


Antes de ontem, a Arábia Saudita, Bahrein, Egito e Emirados Árabes Unidos anunciaram o corte das relações diplomáticas com o Catar, argumentando que o país financia extremistas.


Trump aproveitou também para criticar os principais veículos de mídia dos Estados Unidos, afirmando que eles fazem campanha para que o presidente deixe de utilizar as redes sociais para se comunicar com o eleitor.


Voos

O tráfego aéreo no Irã aumentou ontem com mais de uma centena de voos da companhia aérea Qatar Airways, que tiveram que desviar sua rota por causa da recente crise diplomática entre o Catar e quatro países árabes.

 

A suspensão das relações diplomáticas do país com a Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos e o Bahrein teve como uma das consequências o fechamento do espaço aéreo destes países para aeronaves catarianas.


O diretor da Companhia de Aeroportos e Navegação Aérea do Irã, Rahmatola Mahabadi, explicou que o número médio de voos diários que cruzam o espaço aéreo iraniano era de 950 e que, a partir de hoje, esta cifra aumentou para entre 1.050 e 1.100.


Mahabadi indicou que alguns dos voos que tiveram que desviar suas rotas para o Irã para evitar sobrevoar a Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos e o Bahrein são aqueles com destino ao sul da Europa, à África e à Ásia.


Segundo o diretor, a criação de 15 mil quilômetros de rotas aéreas deu mais capacidade ao Irã e permite ao país “satisfazer as demandas internacionais”.


O Egito também rompeu relações com Doha, mas não fechou seu espaço aéreo para a Qatar Airways, que anunciou ontem a suspensão dos seus voos os quatro países que romperam relações com o governo de Doha.


Arábia Saudita, Barein, Egito e Emirados Árabes Unidos acusaram o governo do Catar de apoiar o terrorismo e de ameaçar a estabilidade do Oriente Médio.

 

Adriano Nogueira

TAGS