VERSÃO IMPRESSA

Explosão na Rússia tem repercussão internacional

01:30 | 04/04/2017

Ministros, representantes de órgãos internacionais e presidentes lamentaram o ataque ao metrô de São Petersburgo na Rússia ontem. Embora representantes de vários países tenham comentado sobre o incidente, poucos chefes de Estado fizeram manifestações pessoais sobre a tragédia.


Os presidentes da Bolívia, Evo Morales, da Geórgia, Giorgi Margvelashvili e de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, prestaram condolências às famílias das vítimas. “Foi com profunda consternação que soube da explosão que hoje (segunda-feira) ocorreu no metropolitano de São Petersburgo, que resultou em numerosas vítimas mortais e inúmeros feridos, alguns com gravidade”, expressou Marcelo.


O presidente americano, Donald Trump classificou a explosão de uma "coisa terrível". "Acontece no mundo todo, com certeza uma coisa terrível", declarou o magnata em um evento na Casa Branca.


“Nossos pensamentos estão com o povo russo", escreveu a chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Federica Mogherini, no Twitter.


O porta-voz do governo alemão, Steffen Seibert, classificou os eventos como “terríveis”. Os ministros das relações exteriores da Alemanha, Sigmund Gabriel, da França, Jean-Marc Ayrault, da Inglaterra, Boris Johnson, da Aústria, Sebastian Kurz, da Itália, Angelino Alfano e da Bélgica, Didier Reynders, mandaram condolências. O secretário-geral da OTAN, Jens Stolenberg, também se manifestou.


Os primeiro-ministros da Dinamarca, Lars Lokke, e Malta, Joseph Muscat, pediram solidariedade e lamentaram o incidente. (com agências de notícias)

 

ADRIANO NOGUEIRA

TAGS