VERSÃO IMPRESSA

Sexagenário

01:30 | 05/06/2018


Sabino Alano Magalhães Bizarria
cellusrocha@gmail.com

A memória da infância e do passado se manifesta com mais intensidade e frequência. Constatamos que, em nossa trajetória de vida, tivemos de nos restabelecer incansáveis vezes: na convivência com os amigos, na relação afetuosa e sincera da família, nas controvérsias do emprego, nas relações sociais e na busca tenaz da sobrevivência. Muitas mãos nos colocaram nos caminhos trilhados. 


Somos privilegiados por termos chegado até aqui. Muitos feneceram no caminho. Percorremos caminhos fáceis e afetuosos, bem como trilhamos percalços e dissabores. Alguns acreditam que estamos aqui de passagem para cumprir pré requisitos e atribuições, que nos levarão a uma nova dimensão, onde, de fato e de direito, estabeleceremos uma relação permanente com Deus. Outros, incrédulos, vivem na terra suas últimas energias, se priorizando e se limitando a cumprir sua missão e a atender aos prazeres da carne. assim, cada qual vai seguindo com suas crenças.
[QUOTE1] 

Vivemos uma geração onde os sexagenários estão mais saudáveis e longevos: com melhor participação relativa no trabalho, no lazer, nas decisões estratégicas e até na prática de esporte. O momento é de extrema reflexão na administração dos nossos atos e de ingente estreitamento na relação com o nosso Deus. É o momento de nos reinventarmos e nos restabelecermos, com o escopo de atingirmos a plenitude da n ossa missão, deixando o legado do bem em 360º e assim contribuir para o bem estar de todos e do nosso majestoso planeta.
 

Nunca devemos parar de sonhar e de amar. Deixemos de lado o relógio do tempo e busquemos sempre reinvenções e novas e melhores conquistas. 


“Os Covardes nunca tentam, os fracassados nunca terminam, os vencedores nunca desistem” (Norman Vincent Peale).

TAGS