VERSÃO IMPRESSA

Sobre Mário Puzo

01:30 | 23/01/2018


Marcelo Cabral

marcelowesleypersio@gmail.com

Se pudesse dizer qual dos escritores das pilhas de livros que li que mais me agrada, diria sem pestanejar: Mario Puzo. De ascendência italiana e nascido na cidade que virou título da música de Frank Sinatra, Nova York, Puzo foi amante dos livros desde muito jovem, fez das bibliotecas públicas o seu segundo lar, depois de retornar da Segunda Guerra Mundial descobriu a paixão pela escrita e de contar histórias com personagens envolventes e aventuras avassaladoras.


Muito cedo descobri que lendo nos tornamos mais criativos e inovadores e capazes de desenvolver senso crítico. Precisamos criar e resgatar o hábito da leitura neste País, descobrir e entender a amplitude desse meio existencial em que vivemos. Como dizia o sábio poeta gaúcho Mário Quintana, o verdadeiro analfabeto é aquele que sabe ler, mas não lê. Nada mal em abrir um livro agora.
 

Mais que jovem e bela mulher, muito amada, Onélia Santana se identifica pela sua missão.

TAGS