PUBLICIDADE
Jornal

Negra raiz

14/06/2017 01:30:00
Clarisse da Costa

clarissedacosta81@gmail.com


Sou o canto do samba;

O guerreiro

Que levanta poeira

Desse chão,

Seja asfalto

Ou terra.

Sou negritude

Emanada

Por sua luta;

O pássaro negro

Que somente

Quer voar.

Sou a voz da igualdade

Dessa Pátria sem par;

Sou África;

Sou Brasil;

Sou Estados Unidos;

Sou aquarela

Desse mundo desigual!

Sou quilombola,

A marca da escravidão.

Sou de qualquer lugar:

Angola, Maputo, Matola…

Sou o negro que

Refaz a sua história

E não desiste

Mesmo que haja

Ventos contrários.

Sou o choro sofrido

Da fome,

Do desrespeito

Que me consome.

Sou a raiz

Da origem

De cada brasileiro;

Sou o que você quiser;

Mas de uma coisa

Você Pode ter certeza,

Sou gente como você.

Sou o negresto

Sou a cultura

Sou o Preto

Sou a raiz

Sou o negro

Sou kizomba;

Sou sou sou.

Adriano Nogueira

TAGS