VERSÃO IMPRESSA

Descompromisso

01:30 | 05/04/2017

Luiz Gonzaga Miranda

miranda.alfaiate@hotmail.com

 

Existe uma linha de ônibus, que faz o percurso Parangaba/Papicu, que até pouco tempo prolongava até o Centro de Fortaleza, fazendo o itinerário na rua General Sampaio/Castro e Silva e CondeD’eu. Esse ônibus facilitava o deslocamento dos trabalhadores da Zona Sul da capital cearense, que labutam nos comércios e feiras do quadrilátero: Dragão do Mar, Rua José Avelino, Viaduto e a Igreja da Sé. Este comércio tem seu ponto alto os finais semana, feriados. E a clientela é oriunda de outros estados e de algumas cidades do interior cearense. Os trabalhadores questionam o porquê da retirada desse percurso; já que este ônibus evitava que seus usuários fossem alvo de roubos, assaltos e até assassinatos.


Estes heróis buscam, neste trabalho extra, alguns reais a mais para ajudar na renda familiar, muitas dessas jovens e senhoras têm um duplo papel no lar, pai e mãe de família, por isso, correm risco de atravessarem as praças, José de Alencar, do Ferreira e a dos Leões. Nessa última praça, mais se registrou assassinatos, e assaltos, tudo devido a sua localização ser um corredor de acesso a este comércio e feiras. Os marginais que atuam nestas praças do Centro agem com a convicção de que não serão importunados por nenhum órgão de segurança pública.


As jovens e senhoras clamam pela volta deste coletivo. Falo em nome dessas mulheres, porque elas são presas fáceis das ações dos marginais que atuam nas praças, ruas e avenidas do Centro de Fortaleza.


Eu, Miranda, muitas vezes fui passageiro deste coletivo, já que ele passava ao lado do edifício General Tibúrcio e próximo a praça dos Leões ou praça (General Tibúrcio) aonde eu desembarcava para trabalho.


Essas jovens senhoras, principalmente as mais novas, não tem seus direitos trabalhistas reconhecidos pelos patrões e muitas delas trabalham de domingo a domingo, em busca do sustento dos seus lares, contribuindo para o crescimento do País e enriquecendo os patrões.

ADRIANO NOGUEIRA

TAGS