VERSÃO IMPRESSA

Peço urgente, com pressa quente

01:30 | 29/03/2017
Francisco Garcia Maciel

jornaldoleitor@opovo.com.br


Lá vai correndo

Que a solidão persegue

E já não fica

Pois não está com pressa

E peço urgente:

Compressa quente

para a vida, a vida fria.

Voa num vento soprante

E eu vou correndo

Pego carona no vento

Por um instante

Que surge aqui ao lado

E há algo alado

Que tão me levou bem distante

Sopro turbulento na pista

E areia no céu

E poeira na vida

Lá vem correndo

Seguro firme e ferida

Há certo medo na solidão

Mesmo na ida

Há estrelas caindo

E bulho inferno na noite

Já não se sabe da face

A boca desmancha e arde

Sem qualquer motivo

Ainda se vê algum sorriso

E,eu não sei o que trouxe

Deve ser o vento frio

E aqueles anos que não passam

Não passam

Já que a solidão persegue

E já não fica

Pois não está com pressa

E peço urgente

Com pressa quente

para a vida,

A vida fria.

ADRIANO NOGUEIRA

TAGS