VERSÃO IMPRESSA

O Melhor momento é agora

01:30 | 21/10/2017

[FOTO1] 

 

Construtoras e incorporadoras confirmam o bom momento que o mercado imobiliário atravessa por causa da melhoria dos indicadores econômicos: principalmente a taxa de juros e inflação em baixa. Aliado a esses fatores, o estoque e as ações de vendas das empresas, como muitos descontos, promoções e condições vantajosas tornam a compra de um imóvel ainda mais favorável nesses últimos meses do ano. Executivos e coordenadores de vendas alertam que a hora de comprar é agora, que é melhor não adiar o sonho. A tendência é que, com a procura maior e o estoque ainda mais reduzido, os preços voltem a subir já em 2018. Na entrevista a seguir, o diretor da Construtora Santo Amaro, Antônio Miranda Filho, o coordenador Comercial da Moura Dubeux e da Otoch Empreendimentos, Ricardo Moura, e a coordenadora de Produtos da Magis, Nivana Guimarães, falam mais sobre esse quadro favorável do setor e sobre seus empreendimentos.

 

OP - Como estão as vendas de imóveis?


Antônio Miranda Filho - Na Santo Amaro as vendas estão acontecendo. Ainda não no ritmo que nós gostaríamos, mas estão acontecendo. Estamos com uma procura muito maior que no ano passado e no ano retrasado. A gente sente uma maior dinâmica, as pessoas visitando os estandes, telefonando, namorando.

[QUOTE1]

Nivana Guimarães - Na Magis as vendas estão bem aquecidas. Muitos clientes procurando, pesquisando e fazendo fechamentos, até porque a gente tenta fazer o máximo possível para agregar tanto valor quanto qualidade aos nossos produtos. E nesses últimos 90 dias a gente sentiu bastante procura e fechamentos de negócios. E uma característica diferenciada desse momento é que a grande maioria dos clientes tem pago os imóveis à vista. Para a gente isso tem surpreendido bastante.

 

OP - E a que se deve isso?


Nivana Guimarães - O que eu vejo é que muitos clientes esperaram o momento adequado, a hora certa, para conseguir condições diferenciadas, para comprar um produto de qualidade e não ter nenhuma preocupação com financiamento. É a hora, a oportunidade e aquele investimento que vinha sendo guardado para o momento certo.

 

OP - E como estão as vendas na Moura Dubeux e Otoch Empreendimentos?


Ricardo Moura - As vendas estão mostrando uma reação. A economia está dando sinais de recuperação e isso repercutiu com a maior procura do consumidor. O momento é propício para isso e a procura tem aumentado seja nos estandes, nos sites, nas ligações. As pessoas tem procurado e sentado para negociar a melhor oportunidade.

 

OP - A Moura Dubeux/Otoch Empreendimentos está presente em dois eventos. Quais são eles?


Ricardo Moura - Estamos presentes na Casa Cor Ceará com os empreendimentos do Evolution Central Park, com foco nos residenciais Brooklyn, Metropolitan e Broadway, todos prontos para morar, aptos a financiar. Esses empreendimentos são o nosso foco na Casa Cor. Mas temos também as torres comerciais, o ITC, que estão quase prontas. Serão entregues agora em janeiro de 2018.

 

OP - Como é esse empreendimento comercial?


Ricardo Moura - São duas torres comerciais chamadas de ITC Central Park. São salas de 28 até 533 m².

 

OP - E no Black Week?


Ricardo Moura - Também estamos com o Evolution Central Park, complexo integrado ao RioMar Papicu, desde o residencial até a sala comercial. Até este sábado (21/10), vamos manter além dos descontos atrativos com apartamentos a partir de R$ 319 mil e o pagamento da documentação (Registro, ITBI) por nossa conta.

 

OP - A Magis participa da Casa Cor Ceará com quais empreendimentos?


Nivana Guimarães - A gente está com o Laffite Condomínio Parque, empreendimento que fica no Guararapes, com apartamentos de 70 e 110 m². A previsão de entrega é agora para dezembro deste ano. E temos condições especiais com preços a partir de R$ 550 mil para unidades de 110 m².

 

OP - Que outros empreendimentos a Magis está trabalhando?


Nivana Guimarães - A Magis hoje tem empreendimentos em várias regiões. Temos prontos e entregues: o Wai Wai, no Cumbuco, o Moma, no Cocó, pronto e entregue e o La Cittá, na Parangaba. No final do ano a Magis entrega o Lafite e no primeiro trimestre de 2018, o L’acqua di Fátima, no segundo trimestre, e o Duo Residence na Parangaba, no final de 2018, o Talassa, nas Dunas, e em 2019, o Aquarela no Benfica. São empreendimentos para todos os gostos, bolsos e desejos. E em todos os empreendimentos nós temos unidades com condições especialíssimas nesse mês de outubro. Basta procurar a gente e negociar.

 

OP - A Santo Amaro está na Casa Cor Ceará com quais empreendimentos?


Antônio Filho - Estamos com o Turris, que significa a torre em latim. Localizado na rua Atualpa Barbosa Lima esquina com Barão de Aracati, a cerca de 70 metros do calcadão da Beira Mar. É um edifício de alto padrão com 46 unidades. São dois apartamentos por andar, cada um com 163 m² de área privativa, três elevadores, dois sociais, um para cada apartamento, e um de serviço. Tem ainda três vagas de garagem, guarita com vidros blindados, sistema de água mineral, vagas para visitantes. É uma oportunidade porque não existem mais terrenos para construir na região que já é muito densa. Então, não vai surgir nada tão moderno na região. Está pronto desde maio, juridicamente perfeito.

 

OP - E a construtora está com condições especiais de venda?


Antônio Filho - Estamos muito flexíveis na negociação. Dependendo da proposta do cliente podemos oferecer descontos. Se for em dinheiro vamos ver um desconto, se quer colocar um imóvel usado como parte do pagamento, vamos avaliar.

 

OP - Além do Turris a Santo Amaro trabalha a venda de outro empreendimento?


Antônio Filho - Nós temos o Edifício Splendor, também no Meireles, bem próximo à Igreja do Líbano. Empreendimento de alto padrão, pronto para morar. É um concorrente do Turris. Ele tem dois apartamentos por andar, também com três elevadores, num total de 36. Também três vagas de garagem, guarita com vidros blindados e outros confortos.


“JANELA DE OPORTUNIDADES”

OP - O momento é realmente favorável à compra de imóveis?
 


Antônio Filho - Sim. É realmente uma janela de oportunidades. Nós estamos com juros muito baixos, com chance de baixar um pouco mais em dezembro, e as construtoras ainda com algum estoque, fazendo promoções, ações de venda e sendo flexíveis na negociação. E esse cenário tende a mudar.
 


OP - Quando é que muda?
 


Antônio Filho - A partir do próximo ano a economia voltando a se aquecer e os estoques caindo ainda mais, isso tende a mudar. Eu acho que dentro de seis meses nós vamos estar numa outra realidade.
 

 

OP - Mas como quase tudo caiu, o custo de construção também não diminuiu?
 


Antônio Filho - Nós construímos numa época que teve custos de materiais, teve inflação mas nós não conseguimos passar esses custos para o nosso preço. Como as vendas estavam mais baixas e o momento não era favorável tivemos que absorver os custos de mão de obra. Agora com os estoques caindo, a partir do próximo ano e a procura voltando a crescer, vamos ter uma mudança de preços.
 

 

OP - E as construtoras têm previsão de lançamentos?
 


Antônio Filho - Na Moura Dubeux, que no próximo ano completa 30 anos de atuação no mercado, temos terrenos e projetos em aprovação. Talvez, no segundo semestre do próximo ano tenhamos algum lançamento.
 


Ricardo Moura
- No Evolution ainda temos empreendimentos do complexo a ser lançado mas estamos em estudo para ver a se no ano que vem conseguimos encaixar mais algum projeto. Poderemos lançar mais um empreendimento no segundo semestre do ano que vem. Nós temos no complexo, ainda por construir, um hotel, com a bandeira Beach Class, e mais três empreendimentos. Ao todo são oito torres a serem lançadas.
 


Nivana Guimarães - Temos perspectiva de lançamento para o próximo ainda mas ainda não tem nada garantido. Vai depender do cenário econômico.

TAGS