PUBLICIDADE
Jornal

Conhecendo e usando o que tem

26/08/2017 01:30:00
A professora aposentada pela Prefeitura de Fortaleza, Lúcia Holanda, 63, enfatiza que comprou o seu segundo imóvel no interior de Beberibe para passar os finais de semana. Ela mora na Cidade dos Funcionários, em Fortaleza, há oito anos em um apartamento.

 

“Comprei por R$ 2.500 de um Padre do interior, há 20 anos. Hoje já uso para brincar nos feriados e folgas com familiares, amigos próximos e outros convidados”, explica. Ela diz que, apesar de não alugar, a manutenção, que sai de sua economia, custa R$ 2.000, o que inclui reformas, pinturas, decoração e outros gastos. “Não alugamos, mas a minha filha fica muito tempo com o sítio. É uma segurança que garantimos”.


Já a aposentada Francisca Sá, 72, comprou um terreno e construiu uma casa na praia da Tapera, há 12 anos, com um orçamento de R$ 30.000. “Eu e meu esposo tínhamos a nossa casa no bairro Cidade 2000 e um mercado, o qual nos ajudou na hora de levantar a segunda residência. Usávamos somente para a diversão, para passar os fins de semana e comemorar com familiares, em Natal, aniversários ou outros encontros”, explica.


Ela destaca que durante a mobília da casa de praia, surgiu uma vontade repentina de morar na praia da Tapera, o que facilitou na hora de vender a primeira residência. “Usamos uma mobília que nos agradou muito, assim como nos preocupou, já que alguém poderia nos furtar enquanto estivéssemos na cidade (de Fortaleza). Com esse receio e empolgação, optamos por vender a primeira casa e construir uma expansão da casa na Tapera”, explica. A aposentada vendeu a residência da Cidade 2000 por R$ 50.000, comprou um segundo terreno ao lado da casa na Tapera, e construiu mais um imóvel pelo valor que garantiu da primeira casa. Hoje faz cinco anos que mora próximo da praia.



Adriano Nogueira

TAGS