PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Rompimento de barragem na Bahia atinge mais de 350 famílias

|ABRIGAMENTO| Comunidade removida está sendo levada para escola próxima da região

12/07/2019 02:16:15
Inundações de áreas e bairros do município de Coronel João Sá
Inundações de áreas e bairros do município de Coronel João Sá (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros de Paulo Afonso)

A barragem Quati se rompeu na manhã de ontem, no povoado de Pedro Alexandre (BA), localizado a 437 quilômetros de Salvador. Não há relatos de mortes e feridos.

De acordo com a Defesa Civil da cidade, o excesso de chuva na região do Rio do Peixe pode ter contribuído para o rompimento da barragem, que pertence, segundo o órgão, ao governo do Estado da Bahia. A estrutura de água se rompeu às 11h no distrito de Quati. A prefeitura da Cidade vai decretar estado de emergência.

Segundo Carla Leão, coordenadora da Defesa Civil de Pedro Alexandre, em 24 horas choveu cerca de 100 milímetros na região. "Desde as 7h20 (de ontem) nós já estávamos avisando a população da região. Fomos avisando via internet e ligando para que os moradores deixassem suas residências", disse Carla.

A Superintendência de Defesa Civil da Bahia (Sudec) informou que a grande quantidade de lama nas estradas dificultou o acesso e o atendimento à população. Temendo que o lamaçal alcance a cidade, o prefeito de Coronel João Sá, município vizinho, Carlinhos Sobral, usou as redes sociais para alertar a população a procurar ajuda. Na postagem, o gestor citou as escolas municipais disponíveis para acolher a comunidade. No local também foi divulgado um telefone de emergência.

Mais de 300 famílias tiveram que deixar suas casas. "A área próxima ao rio é muito povoada, temos casas que ficam a 20 metros, 30 metros de distância do Rio do Peixe", comenta o secretário de Comunicação do município, Waldomiro Júnior.

Ainda segundo ele, "a água atingiu metade da altura de muitas casas" e há famílias que já perderam tudo. A informação é de que todos os secretários do município estão mobilizados para minimizar os impactos da ruptura da barragem na vida da população.

"A população mais afetada é a mais carente. São pessoas que construíram suas casas muito próximas do rio. Mas os moradores daqui são muito solidários e todo mundo tem ajudado", comentou.

Em vídeo que circula nas redes sociais, um morador relatou a situação na cidade. "A situação, olha onde se encontra a água, no joelho das crianças. Mas graças a Deus, aqui não ficou ninguém. Já tiramos todo mundo. Todas as crianças, idosos", comentou. Animais também foram retirados.

Em nota, a Agência Nacional de Águas (ANA) informou que tomou conhecimento do rompimento da barragem Quati e que acompanha a situação. "Por se tratar de uma barragem em rio estadual, a fiscalização desse açude não compete à ANA, e sim à autoridade competente no estado da Bahia", concluiu.

Por meio de nota, o Ministério do Desenvolvimento Regional afirmou que equipes de monitoramento e operações do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad) monitoram a situação da enxurrada em contato permanente com as defesas civis estadual e municipal. (Perla Ribeiro, do Correio para a Rede Nordeste com Agências)

TAGS